EsportesNataçãoPrincipais

Equipe do Sesc vence o 25 Horas Nadando

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Com o lema “Eu tô voltando pra casa”, competição foi realizada no Parque Aquático da UnB após quatro anos

Depois de realizadas quatro edições em outros centros esportivos em Brasília, a 21ª edição do Revezamento Aquático 25 Horas Nadando marcou o retorno do maior evento aquático da região Centro-Oeste ao Parque Aquático da Universidade de Brasília (UnB). A equipe do Sesc venceu o desafio com 85,9 mil metros percorridos, seguida da Garra Aquática (Academia Acquária), que nadou 84,8 mil metros, e Gees/Seed (Sergipe), com 84 mil.

Este foi o primeiro evento realizado após a reinauguração do complexo, que recebeu o nome do Professor William Passos, uma referência no ensino de atividades aquáticas e um dos integrantes da equipe que criou o curso de Educação Física na UnB. A competição ocorreu das 10 horas de 23 de agosto (sábado), até 11 horas de 24 de agosto (domingo) de 2014.

Numa manifestação que comprovou, mais uma vez, que o praticante da natação se mobiliza nos eventos de sua modalidade, o 25 Horas Nadando foi novamente marcado pela presença de centenas de nadadores e mais de duas mil pessoas, entre amigos e familiares.

Participante da equipe organizadora desde 1993 e único remanescente do grupo que originalmente contava com doze integrantes, o professor Paulo Henrique Azevêdo destacou que “as 21 edições do evento representam a sua maioridade e maturidade, sendo um dos mais antigos eventos anuais da UnB e até do Distrito Federal que acontecem regularmente”.

Novidades no retorno para casa

Diversas inovações ocorreram durante a realização do evento, como uma maneira de registrar as 21 edições e o retorno às instalações da UnB.

Pela primeira vez os resultados foram apresentados em um telão de led, que também serviu para a projeção de vídeos. A equipe do Laboratório de Pesquisa sobre Gestão do Esporte (Gesporte) preparou um vídeo com imagens do Revezamento Aquático desde a quinta edição, quando eram 32 horas nadando. As provas aquáticas, as gincanas, os bastidores e tudo mais que ocorreu nesse período foram projetados no telão, em diversos momentos nesta edição de 2014.

Outra novidade ficou por conta da criação da Vila dos Atletas, onde foram montadas grandes tendas que serviram de apoio à participação de todas as equipes. Como centenas de pessoas passam as 25 horas no evento, elas puderam descansar e se integrar aos demais colegas nesse espaço. Foi mais uma iniciativa do Sesc/DF e que teve total aceitação do público presente.

Na cerimônia de abertura, estiveram presentes o secretário de esporte do Governo do Distrito Federal, Célio Renê Trindade; Adelmir Santana, presidente da Fecomércio-DF, entidade que administra o Sesc, Senac, Fecomércio-DF, Instituto Fecomércio; a presidente do Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região, professora Cristina Calegaro; e o diretor da Faculdade de Educação Física da UnB, professor Jake Carvalho do Carmo, que acionou a buzina que determinou o início do revezamento. Representando o reitor da UnB, professor Ivan Marques de Toledo Camargo, a professora Sônia Báo, vice-reitora da UnB.

O estado do Sergipe esteve muito bem representado

Uma equipe representou o estado de Sergipe na competição, tendo realizado viagem de ônibus, desde a capital, Aracaju e participado ativamente em todas as atividades do evento. Há que se destacar o espírito nobre dos professores de Educação Física que tornaram possível a vinda a Brasília e a participação de diversos atletas com deficiência, que enfrentaram a longa viagem e mostraram que podem nadar e participar de atividades com todo e qualquer grupo de pessoas.

Pessoas com deficiência mostram garra e competitividade

Outro destaque deste ano foi a quantidade de raias que tiveram participação de número expressivo de atletas com deficiência. Foram três raias e essa interação demonstra que é possível superar desafios físicos e mentais, associado a uma convivência saudável entre todos os participantes.

Muita gente ficou impressionada com a capacidade de superação dos atletas que, a despeito de limitações físicas ou mentais, realizam a atividade aquática de maneira impressionante.

As equipes que tiveram atletas com deficiência em número significativo foram: Sarah; Guigo Lopes; e GEES/SEED (de Sergipe).

O encerramento e a premiação

Aos final das 25 horas foi soada a buzina que determina o encerramento da prova e, como é praxe, os nadadores entram na piscina de maneira descontraída.

Em seguida, realizada a cerimônia de premiação. Além dos troféus para todas as equipes, também foram reconhecidos os destaques individuais do 21º Revezamento 25 Horas Nadando. Dirigentes da UnB e do SESC entregaram os troféus às equipes e aos destaques.

O ensino e a extensão universitária juntos com o 25 Horas Nadando

O evento também é um laboratório da disciplina “Gestão de Eventos em Educação Física, Esporte, Saúde e Lazer”, para os alunos do bacharelado e da licenciatura em Educação Física da UnB.

Os discentes recebem treinamento e participam da comissão técnica, atuando no controle da atividade prática e apuração do resultado de cada participante do revezamento. Assim, o ensino e a extensão são fortalecidos por meio de um evento que oferece atividades de lazer para a sociedade do Distrito Federal.

UnB e SESC-DF são parceiros

Evento da Faculdade de Educação Física, da Universidade de Brasília, em 2005, o 25 Horas Nadando recebeu a parceria do Sesc-DF, cuja participação tem representado ampliação e melhora dos serviços oferecidos à comunidade participante. É uma parceria que realmente deu certo.

O Laboratório Gesporte planeja, coordena e realiza as atividades pertinentes à Universidade de Brasília neste evento, sob a coordenação dos professores Paulo Henrique e Américo Pierangeli Costa.

O que é o Revezamento 25 Horas Nadando

Criado em 1990, por um grupo de professores da UnB, o evento chegou a ter 32 horas de atividades em cada etapa, mas em 1995 – na 6ª edição –, adotou a padronização de 25 horas e tornou-se um dos principais acontecimentos aquáticos do Brasil.

Cada raia pode ter mais de uma equipe, que deverão manter um atleta nadando durante todo o evento. Ao final, recebeu troféus: todas as equipes participantes; os nadadores feminino e masculino que nadarem mais; os nadadores feminino e masculino com a maior idade; e os nadadores feminino e masculino com a menor idade.

Paralelamente à competição foram propiciadas inúmeras atividades, tanto para os nadadores, como para os demais presentes. Xadrez gigante, pebolim, apresentação de saltos ornamentais, shows de bandas de música, ping-pong fizeram parte das atrações.

25horas_premiacao

(Informações: GESPORTE Blog)

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close