BrasíliaCidadesPrincipais

Arena BSB assume o Complexo Esportivo de Brasília

Fonte: Secretaria de Esporte e Lazer do DF

O GDF e o consórcio Arena BSB promoveram, nesta terça-feira (4), uma solenidade que marcou a entrega do Complexo Esportivo de Brasília, formado pelo Estádio Nacional Mané Garrincha, Ginásio Nilson Nelson e Complexo Aquático Cláudio Coutinho, à iniciativa privada. O ato contou com a presença do governador Ibaneis Rocha, do vice-governador Paco Britto,  do secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz,  do presidente da Arena BSB, Richard Dubois, e de outras  autoridades do Executivo.

A concessionária já participava da gestão do espaço de forma compartilhada com a Agência de Desenvolvimento (Terracap), mas agora assume o negócio integralmente. Além das praças esportivas, o consórcio vai construir um boulevard com área de convivência, entretenimento e lazer. A meta é resgatar uma importante área central de Brasília.

Arrecadação e economia

Todo esse ambiente será administrado pela Arena BSB por 35 anos. Nesse período, o governo vai arrecadar bilhões de reais, entre tributos pagos pelo consórcio e incidentes sobre a receita do complexo. O negócio tem potencial para gerar quatro mil empregos diretos, e, de imediato, o GDF vai economizar mais de R$ 13 milhões por ano com a dispensa de manutenção de todo o centro esportivo.

Além disso, durante o período determinado para vigorar a concessão, terão sido repassados R$ 150 milhões em outorga à Terracap, uma vez que o consórcio terá um prazo de carência de cinco anos para realização das obras, além do repasse de 5% do faturamento líquido.

“Essa é a mudança, a virada dessa cidade”, destacou o governador Ibaneis Rocha, durante a cerimônia. “Temos que pensar grande. Como filhos de Brasília, temos a obrigação de manter essa cidade em pé e dar esperança para a população. Isso se faz com muito trabalho. Vamos reconstruir a cidade através de seus potenciais, e um dos maiores é o turístico.”

Novas perspectivas

A entrega do Complexo à Arena BSB vai dar uma nova cara ao centro da capital. Reformas pontuais e de larga escala, incluindo paisagismo e adequações nos equipamentos, estão previstas. As projeções são de que o consórcio invista R$ 700 milhões no local.

“Gostaria de agradecer ao governador Ibaneis Rocha pela visão e diligência”, declarou o presidente da Arena BSB. “Teremos um movimento financeiro nesse semestre maior do que nos três primeiros anos.”

Na avaliação do presidente da Terracap, Izidio Santos, a administração do espaço pela iniciativa privada trará maior movimentação ao local. “É uma honra a gente concretizar essa transferência”, disse. “Mais importante do que isso é a sua utilização. Espero que [a Arena] atenda aos anseios da população do Distrito Federal”.

A projeção do nome de Brasília para o Brasil e para o mundo foi marca em outros discursos. “Estamos em um momento único dos nossos 60 anos”, comentou a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, ao pontuar que a capital está preparada para o turismo de eventos. O secretário de Esporte, Leandro Cruz, reforçou a integração entre o governo e a iniciativa privada: “Vamos continuar desenvolvendo essa parceria no sentido de apresentar conteúdo e atividades esportivas que justifiquem a construção e existência desses equipamentos”.

Programação é destaque

Com a iniciativa, Brasília deve entrar de vez no circuito nacional de grandes eventos. Essa transformação já está acontecendo, como comprova a agenda de eventos. No próximo dia 16, o estádio vai receber a final da Supercopa do Brasil, entre Flamengo e Athletico Paranaense; e, em 3 de março, haverá show com banda norte-americana Maroon 5. A seleção brasileira masculina de futebol também virá para a capital, em setembro, durante as eliminatórias da Copa do Mundo.

O Ginásio Nilson Nelson, que deve passar por modernização e adequação das instalações, será palco de uma edição do evento de luta Ultimate Fighting Championship (UFC), em 14 de março. Com os reparos, o ginásio ficará mais confortável e habilitado a realizar espetáculos com público de até 15 mil pessoas, além das tradicionais partidas de basquete, vôlei e outras modalidades.

O Cláudio Coutinho, por sua vez, manterá o foco na utilização social. Atualmente, o complexo aquático recebe mais de três mil crianças e adolescentes, que praticam natação, polo aquático, salto ornamental, karatê, judô e deep water. O objetivo é promover a massificação do acesso ao esporte e, ainda, sediar campeonatos regionais e nacionais de desportos aquáticos.

Lazer

Os investimentos nos espaços esportivos do complexo não serão os únicos. Em agosto de 2019, a Arena BSB anunciou a chegada à capital cidade da rede mexicana Cinépolis, maior operadora de cinemas da América Latina e a segunda maior do mundo em público.

A Cinépolis vai trazer para a capital um investimento de aproximadamente R$ 46 milhões. O projeto contempla a implementação de um complexo com 14 salas de cinemas em diferentes formatos e com tecnologia de ponta. As salas de cinema compõem parte do projeto de construção de um boulevard.

A requalificação do setor foi mote para o Concurso Nacional de Arquitetura e Paisagismo, no qual os participantes inscreveram projetos de pistas para caminhada e corrida, quadras de esporte, bares e restaurantes, aquários e uma plataforma elevada, que funcionará como uma espécie de mirante. O projeto vencedor é da equipe brasiliense comandada por Éder Rodrigues de Alencar, da ARQBR Arquitetura e Urbanismo.

Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Veja também

Close
Close