Esportes

Brasileira na Cerimônia de Abertura de Sochi 2014

lJaqueline Mourão já estava na história do esporte brasileiro por ser a única mulher brasileira a disputar edições de Jogos Olímpicos de Verão e Inverno. Mesmo assim, a atleta mineira não se cansa de colecionar conquistas e feitos que a colocam como uma das mais importantes atletas olímpicas do Brasil, entre homens e mulheres. Nesta terça-feira, dia 4, Jaqueline foi anunciada como a porta-bandeira da delegação brasileira na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Sochi 2014. Mesmo em sua quinta participação olímpica, Jaqueline se emocionou com o anúncio feito pelo chefe da Missão Brasileira, Stefano Arnhold. A Cerimônia de Abertura dos Jogos está marcada para a próxima sexta-feira, dia 7.

“Estou muito emocionada, me lembrando de toda a minha trajetória. É muito legal poder ter esse reconhecimento. Espero mostrar para muitos que é possível alcançar sonhos que parecem ser impossíveis. Eu não esperava. É um sonho se tornando realidade”, disse Jaqueline, que irá disputar a competição de cross country, como nas duas últimas edições dos Jogos, e o biatlo, na primeira participação brasileira na modalidade.

Jaqueline é a única, entre homens e mulheres , a competir em duas de Verão e três de Inverno. As cinco edições de Jogos no currículo dão a Jaqueline mais um recorde: ela se iguala a Fofão (vôlei) e Formiga (futebol), com o maior número de participações olímpicas entre as mulheres brasileiras. Além disso, nas disputas do biatlo, ela será a única latino-americana na modalidade em Sochi.

Oriunda do ciclismo, Jaqueline começou a se familiarizar com o esqui em 2005, no Canadá, quando uma nevasca a impediu de realizar treinos sobre duas rodas. A recordista brasileira resolveu experimentar o esqui e a paixão foi imediata. Após a participação em Pequim 2008, a mineira decidiu se dedicar somente às modalidades de inverno. O biatlo veio quando não podia esquiar. Grávida após os Jogos de Vancouver 2010, resolveu aprender a atirar. “O brasileiro está descobrindo os esportes de inverno e é legal ter esse reconhecimento. Eu tenho certeza de que essa delegação é a mais forte do Brasil. Todos os atletas se dedicaram muito pra chegar até aqui. A qualidade do atleta brasileiro está cada vez melhor e a tendência é melhorar cada vez mais”, afirmou a recordista.

Stefano Arnhold se disse honrado em dar a notícia, de surpresa, à Jaqueline. “Ela é uma atleta extremamente dedicada, um exemplo para as futuras gerações. O biatlo é uma das modalidades de inverno mais complexas e ela conseguiu a classificação com apenas quatro anos de treinamento. Não é uma conquista fácil, muito longe disso”, afirmou Stefano, comemorando a evolução da delegação brasileira ao longo dos anos. “Aos poucos vamos aumentando a representatividade do Brasil em Jogos de Inverno, desde a primeira participação, em Albertville 92. Isso é fruto do trabalho das Confederações, com apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e do Ministério do Esporte. Desta forma, devagarzinho a gente começa a incomodar”, concluiu.

Boas-vindas – Nesta terça-feira também foi realizada a cerimônia de boas-vindas à delegação brasileira nos Jogos Olímpicos. Após o Hino Olímpico, a Bandeira Brasileira foi hasteada na Vila ao som do Hino Nacional. Além disso, os atletas brasileiros foram recebidos oficialmente pelo ex-ginasta russo Alexei Nemov, dono de 12 medalhas olímpicas. A cerimônia contou com a presença do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e do membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) e do COB, Bernard Rajzman, entre outros. “Fico muito feliz com a evolução da representatividade do Brasil em Jogos de Inverno. Há poucos anos atrás seria inimaginável pensar em uma delegação com 13 atletas em sete modalidades para um país com as condições naturais do Brasil”, disse Nuzman.

Até o momento, dos 13 atletas titulares classificados para os Jogos, recorde brasileiro, nove já chegaram a Sochi: Isabel Clark (snowboard), Josi Santos (esqui aéreo), Jaqueline Mourão (esqui cross country e biatlo) e as equipes masculina e feminina de bobsled. “Cada Olimpíada é diferente e especial. Já estive aqui ano passado, gostei bastante da pista. Estou muito contente com meus quatro anos de preparação. Agora é ficar tranquila para o dia da competição e fazer o melhor possível”, disse Isabel Clark, responsável pelo melhor resultado brasileiro em Jogos de Inverno, a nona colocação no snowboard cross em Turim 2006.

Fonte: timebrasil.cob.org.br

 

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close