Esportes

Atletas com deficiência têm mais oportunidades

Programa do "Viver sem Limite-DF" assegura a competitividade e facilita a descoberta de talentos
Programa do “Viver sem Limite-DF” assegura a competitividade e facilita a descoberta de talentos

A chance de atletas com deficiência treinarem e despontarem como futuros talentos é a oportunidade que o programa Centro de Referência de Esporte para Pessoa com Deficiência oferece, como parte do projeto “Viver sem Limite-DF”, sob coordenação da Casa Civil e Secretaria de Esportes.

Exemplo disso é Matheus Formiga Gomes, 17 anos, que apesar de ter perdido o movimento das pernas e restrições na fala, mostra talento na prática de bocha adaptada – esporte onde o jogador tem como objetivo encostar o maior número de bolas na bola alvo -, inclusive, sendo vencedor de 15 medalhas.

“Ele fala com o olhar. Monta toda a sua estratégia e me orienta a movimentar a calha (ferramenta que arremessa a bola para o centro da quadra) para que a jogada seja certa”, disse o professor Claudiomar Barbosa.

Os treinos ocorrem pelo Centro de Referência de Esporte, no qual o GDF apoia seis subprojetos de inclusão esportiva, entre eles o Futuro Campeão para Pessoa com Deficiência, que permite a alunos como Matheus treinar no Centro Olímpico de Ceilândia – Parque da Vaquejada.

Frequentador assíduo desde que o espaço entrou em funcionamento, há três anos, o estudante participará das Paraolimpíadas Escolares pela segunda vez, este ano em São Paulo. Além disso, o jovem campeão também faz atividade de estimulação na piscina.

Segundo a mãe de Matheus, Terezinha Gomes, a instalação do centro em Ceilândia foi importante para a família: “Isso aqui é a segunda casa dele. Não falta aos treinos por nada”, ressaltou.

 

CENTROS – Os 11 Centros Olímpicos distribuídos pelo DF, que funcionam de segunda a sábado, têm vagas ilimitadas para pessoas com deficiência em modalidades como natação, atletismo, bocha adaptada, tiro com arco, tênis de mesa, basquete em cadeira, vôlei sentado, entre outros.

Até os 11 anos, as crianças passam por estimulação básica e global, para depois iniciar efetivamente o esporte.

“Não há limites para os alunos com deficiência quando o assunto é a prática de esportes. Eles passam por uma avaliação que possibilita a indicação da melhor modalidade”, explicou o professor Claudiomar.

PROJETOS – Além do Futuro Campeão, estão em execução o Compete Brasília e o Circuito de Corrida de Rua do DF – que foi lançado nesta semana.

Os outros três subprojetos – Jogos Esportivos para Pessoas com Deficiência do DF; Bolsa-Atleta para Pessoa com Deficiência; e Time Brasília – são os próximos a serem implantados.

Os seis funcionavam no DF, mas somente após a criação do projeto passaram a incluir oficialmente as pessoas com deficiência às ações.

VIVER SEM LIMITES – Elaborado pelo Grupo de Articulação e Monitoramento da Política Pública para as Pessoas com Deficiência, tem como objetivo qualificar as políticas públicas de inclusão para garantir a integração de programas e ações que proporcionem, de forma igualitária, os direitos das pessoas com deficiência.

A coordenação do plano está a cargo da Casa Civil da Governadoria e da Secretaria de Justiça.

Os projetos que integram o plano são divididos em quatro eixos: inclusão social, educação, saúde e acessibilidade. Fonte Agência Brasília

 

 

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close