BrasíliaMais EsportesPrincipaisVôlei

Bolsa Atleta faz a diferença para medalhista do Pan-Americano de Lima

Fonte: Secretaria de Esporte e Lazer do DF

A rotina de um atleta de alto rendimento não é fácil e exige muita dedicação e treinamento. E todo este esforço aparece em resultados positivos. Este ano, Ângela Lavalle (DF) com Carol Horta (CE) conquistou a medalha de bronze no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Um momento muito importante para a carreira da atleta. “Eu considero que este foi um dos melhores resultados da minha história como atleta profissional. A gente batalhou muito por este resultado”, comentou Ângela.

Ângela e Carol Horta estão juntas desde fevereiro de 2018. Elas treinam separadas e se encontram dias antes das partidas oficiais.  E apesar da distância geográfica, elas têm conquistados bons resultados.  “Durante a minha carreira eu sempre joguei mais com parceiras de fora daqui. Não é uma situação fácil. Mas a gente supre esta dificuldade dentro da quadra”, contou a atleta brasiliense.

“Este ano tem mais uma etapa do Open Nacional agora em 19 de novembro, em Ribeirão Preto (SP). Este circuito termina em abril. Nas primeiras três etapas, a gente tem terminado em quarto ou quinto lugar. O ano que vem queremos focar mais em pódio e manter a regularidade”, disse. Na última etapa, realizada em outubro, em Cuiabá, a dupla  terminou a competição em quarto lugar.

Por conta dos deslocamentos para participar dessas competições, Ângela conta com dois apoios fundamentais: o Bolsa Atleta e o Compete Brasília.  “Eu já recebo o Bolsa Atleta há muitos anos, desde 2011. Esta ajuda mensal é fundamental. Sem o programa seria muito difícil se manter no alto rendimento. Com esse dinheiro eu consigo manter a minha estrutura de treino, a suplementação, ter uma alimentação balanceada. Nas viagens também ajuda a pagar a hospedagem e a manter uma boa alimentação. Não tenho patrocínio,  tenho apoio de alguns amigos como dentista, nutricionista, médico do esporte. Então, o Bolsa Atleta é o único patrocínio que eu tenho”, disse. Ângela recebe o Bolsa Atleta na categoria Internacional.

Segundo o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz, o programa é um apoio aos atletas que tem condições de representar o Distrito Federal em competições oficiais. “O Bolsa Atleta é um programa de alto rendimento. A gente precisa entender muito bem isso, o que é esporte de participação, o que é esporte social, o que é esporte de rendimento e de alto rendimento. O Bolsa Atleta e o Compete Brasília são para esportes de rendimento. É para formação de atleta que quer seguir em uma carreira esportiva. O Bolsa Atleta é bastante fechado, ele já tem os critérios definidos em lei”.

Início da Carreira
A esportista de Ângela começou no esporte muito cedo. Ainda jovem, na escola, ela participava de jogos com os colegas de classe. E aos 12 anos de idade aconteceu a primeira convocação para a seleção do DF. “Eu joguei muito pela escola, em Taguatinga. Foi aí que percebi que tinha aptidão para a modalidade. Eu joguei vôlei de quadra até aos 19 anos. Em 2001 eu comecei a disputar competições no vôlei de praia”, contou.

Entre os títulos conquistados por  Ângela aparecem: Ouro no evento Teste Olimpíada de Londres:2011; SuperPraia 2015-16 e  Etapa do Chile do Circuito Sul-Americano de Vôlei de Praia:2015-16.

Bolsa Atleta
O Bolsa Atleta é um programa de patrocínio individual de atletas e paratletas de alto rendimento que obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais de sua modalidade.

As inscrições para o Bolsa Atleta 2020 já abriram. De 1 a 11 de novembro, as federações deverão encaminhar a documentação relativa aos seus indicados. A próxima fase deve ser feita pelos atletas que deverão comparecer até o dia 18 de novembro de 2019 para apresentação do “Ofício de Indicação” e documentação complementar necessária.

São 224 vagas e os valores do Bolsa Atleta variam de R$ 180 a R$3.300 mensais.

As modalidades olímpicas que fazem parte  do programa são:
Atletismo, Basquete, Ciclismo, Ginástica Olímpica, Ginástica R.,  Desportiva, Handebol, Hipismo, Iatismo, Judô, Natação, Saltos Ornamentais, Taekwondo, Tênis de Mesa, Tênis de quadra, Triathon e Vôlei.

Modalidades Paralímpicas: Atletismo, Basquete em cadeira de rodas, Parabdminton, Futsal, Futebol de Campo, Vela adaptada, Vôlei sentado, Vôlei de surdos, Tiro com arco, Futebol de 7, Futebol de 5, Goalball, Tênis de mesa, Tênis em cadeira de rodas, Bocha, Rúgbi, Ciclismo, Hipismo, Natação e Remo.

Confira no link. 

Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close