2014Editorial

Construir sua imagem manchando a do próximo não é um bom caminho

Com a proximidade das eleições, tenho presenciado candidatos e pré-candidatos usando das dificuldades de muitos projetos sociais para se lançarem como a salvação para o setor. Confesso que a grande maioria eu nem conhecia no meio esportivo.

Respeito e admiro todos aqueles que acreditam que podem contribuir com o esporte. Mas não dá para aceitar que essas “salvações” cheguem falando um caminhão de mentiras e desqualificando aqueles que trabalham, voluntariamente, para a realização de inúmeros eventos esportivos em todo o DF, como os presidentes de ligas de futebol amador.

Não é a primeira vez que ouço que esses verdadeiros apaixonados pelo futebol e pela integração que o mesmo proporciona estão recebendo dinheiro do Governo e se apropriando para benefício próprio. Primeiro, quero esclarecer que esses senhores não recebem verba do GDF. O que existe é o Programa Boleiros, do GDF, de fomento ao futebol amador, executado pela Secretaria de Esporte, e que custeia a arbitragem das competições realizadas em várias regiões administrativas.

O dinheiro do programa vai para pagamento dos árbitros, por intermédio de empresas que participaram da licitação e foram aprovadas para administrar tal verba. Essas empresas têm fins lucrativos, sim, e não vejo mal algum nisso, pois pagam seus impostos, inclusive todos os benefícios que os árbitros têm direito como trabalhadores do setor.

As ligas de futebol amador ainda lutam por políticas que venham beneficiar quem promove esses eventos. Os presidentes querem, e com todo o direito, trabalhar em prol da comunidade sem ter de tirar dinheiro do seu próprio bolso. Ainda não conquistaram, mas o programa Boleiros já é um largo passo.

Além do programa Boleiros, o Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Esporte, dispõe de outros. Porém, o que vem beneficiando muitos atletas de diversas modalidades é o Compete Brasília, que custeia passagens e transporte para que nossos guerreiros possam disputar competições em todo o Brasil e também no exterior.

Ouvi que são beneficiados apena

Kátia Sleide Editora-chefe
Kátia Sleide
Editora-chefe

s os que se comprometem em votar e um determinado candidato. É mentira! O programa está aí e os que estão sendo beneficiados sabem que isso não passa da desconstrução de um trabalho que está dando certo. É perfeito? Acredito que não. Pode melhorar? Com certeza. Mas já é uma grande conquista, pois já presenciei a desilusão de muitos atletas que não tinham a quem recorrer para participarem de competições fora do DF.

Portanto, caros candidatos, não queiram acabar com o que já foi conquistado. Sua imagem pode ser construída sem desqualificar os que trabalham em prol do esporte do DF. Propagar essas mentiras pode trazer consequências irreversíveis para muitos pais de família que não se afastam do esporte por nada. Pensem nisso!

“Para que os anseios da sociedade sejam atendidos é preciso unir forças. Disseminar discórdia e boatos não leva ninguém a lugar algum”

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close