BrasíliaCompetiçõesEsportesFutsalModalidadesPrincipais

Cresspom fica com o título da Sub-20

Em duelo de muita polêmica, equipe empata com a AABB/Upis em 8 x 8 e sagra-se campeã da Taça Brasília 2017

Kátia Sleide

O sábado (24) foi de grandes emoções no ginásio do Sest Senat, que recebeu cinco confrontos decisivos das categorias de base da Taça Brasília Campeão da Construção de Futsal 2017. Os duelos foram emocionantes e contaram com bom público. Porém, a partida mais esperada do dia era a última, valendo o título da Sub-20, em que o Cresspom sagrou-se campeão em cima da AABB/Upis.

AABB/Upis e Cresspom sempre protagonizam bons duelos, independentemente da categoria. E sábado não foi diferente na decisão da categoria Sub-20. O jogo foi equilibrado do início ao fim, gol pra lá, gol pra cá.

Na metade do segundo tempo, a AABB/Upis impôs uma pequena vantagem e abriu dois pontos no marcador (6 x 4).

Pane I 

Faltando pouco mais de três minutos para acabar a partida, um lance pra lá de polêmico marcou a decisão. O atleta do Cresspom simulou uma falta. A arbitragem não marcou, porém, ele, caído, segurou a bola a um metro da pequena área do lado defensivo do Cresspom. O árbitro Orlando Noleto marcou falta.

A equipe da AABB/Upis bateu às pressas, mas o árbitro principal, Átila Morais, chamou a responsabilidade pra si, desmarcou a falta e apontou para o tiro de canto, complicando ainda mais o clima em quadra, afinal, para quem estava presente, seria até aceito falta para um dos lados, mas tiro de canto, jamais.

A confusão só aumentou e o jogo ficou parado por mais de 15 minutos, até que os técnicos concordaram em lance de fair play.

Passada a confusão, o técnico do Cresspom ainda acreditava no empate e apostou no goleiro linha e não deu outra: em jogada rápida, o Cresspom marcou o quinto gol: 6 x 5.

Pane II 

Os ânimos ainda estavam acirrados por conta do lance inusitado: uma falta, que não foi, acabou sendo, e quase virou tiro de canto, mas que fechou em fair play (é complicado entender, mas foi desse jeito que ocorreu).

Faltando menos de 3 segundos para o fim do jogo, o atleta do Cresspom pega a bola na defesa, segue e se joga nas costas do adversário. O árbitro Orlando Noleto marca tiro livre direto para o Cresspom, já que ambas as equipes haviam estourado a quantidade de faltas, que aproveitou a oportunidade e empatou a partida (7 x 7), levando a decisão para a prorrogação.

Na prorrogação (dois tempos de cinco minutos), um gol para cada lado e o Cresspom, que marcou faltando segundos para o fim da partida e jogava pelo empate, sagrou-se campeão da categoria Sub-20.

Confusão

Atletas do Cresspom e da AABB/Upis partiram para a violência contra a arbitragem e contaram com o mega apoio de torcedores que chegaram a pegar o rodo para atacar outro profissional do apito, Jason Michell, que estava apenas como colaborador.

Cenas lamentáveis e que por mais que tenha havido erros gravíssimos dos profissionais do apito, não justifica, de forma alguma, a violência utilizada por atletas e torcedores.

Os árbitros relataram o ocorrido e os agressores serão levados ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

Justamente em um dia em que a arbitragem fez campanha contra a violência contra a mulher (em favor da árbitra Valeska Caixeta que em outra competição foi ameaçada e discriminada durante atuação em uma partida), árbitros sofrem agressões por atletas menores de 20 anos.

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close