EsportesFutebolPrincipais

Dois atletas empatam na artilharia do amador do DF (2016)

Igor Rafael (Estrela Vermelha) e Ruan André (Morro Azul) fecham a temporada em primeiro lugar na artilharia do futebol amador do DF

Dominar a artilharia de uma competição é o sonho de muitos goleadores. Imagine então chegar ao final de uma temporada e descobrir que você foi o artilheiro de todas as competições que ocorreram no Distrito Federal. Tudo bem que estamos falando dos campeonatos amadores, mas não deixa de ser inspirador, não é mesmo?

O site futebolamadordf.com tem todo um trabalho estatístico, feito nos últimos anos que, além de pontuar as equipes amadoras do DF, também contabiliza os gols dos artilheiros. O trabalho é feito em parceria com as ligas amadoras que atualizam os resultados de suas competições na página destinada à entidade. Confira matéria sobre o desafio entre as melhores equipes do futebol amador do DF.

Em 2016, dois atletas empataram em número de gols e dividem a artilharia. Igor Rafael Soares Cavalcante, jogador do Estrela Vermelha de Samambaia, e Ruan André Neres da Roca, atleta do Morro Azul – equipe que terminou a temporada de 2016 em segundo lugar no ranking das equipes amadoras – ambos fecharam a temporada com 28 gols, cada. Conheça um pouco da história desses dois craques do futebol amador do Distrito Federal.

Igor Rafael: orgulho de ser Estrela Vermelha

perere2

O atacante Igor Rafael, 24 anos, atua pelo Estrela Vermelha, equipe de Samambaia. Para ele, é uma satisfação muito grande chegar ao fim da temporada com o título de artilheiro do DF. “Fico muito feliz e orgulhoso disso. No futebol amador de Brasília tem inúmeros jogadores bons. Muitos não conseguiram chegar ao futebol profissional e têm outros tantos que foram profissionais e hoje estão atuando no amador. Sei que existem grandes atletas e poder ser o artilheiro do DF representa muito pra mim e para minha equipe”, comemora o craque.

O segredo do sucesso, segundo ele, é muito simples: “Isso é fruto de muita dedicação e amizade, dentro e fora de campo”, completa.

Igor Rafael é conhecido em Samambaia como o “Artilheiro do Amor”. Quanto à fama, melhor não falar nada, para evitar problemas, mas o simpático atacante tem uma história de superação que serve de exemplo para outros atletas que sonham com o futebol.

“Sofria muitas lesões antigamente e isso me fez pensar em desistir, várias vezes, tanto profissionalmente quanto no amador. Fiquei uns três anos sem poder jogar e na melhor forma física”, conta.

Ele superou as dificuldades e teve o privilégio de jogar profissionalmente. O garoto, que começou a jogar no Estrela Vermelha, aos dez anos de idade, atuou em várias competições de categorias de base em Brasília e fora daqui. Também jogou quatro anos profissionalmente e parou porque optou por concluir a faculdade.

“Sou muito grato ao futebol por tudo. Talvez eu pudesse ter ido mais longe, mas tudo serviu como aprendizado. Hoje sou formado em fisioterapia e não deixei a paixão pelo futebol de lado. Prossigo e é algo muito bacana poder estar aos fins de semana com os amigos. Isso é o que a gente gosta”, relata Igor.

Com apenas 24 anos, mas experiente, “Artilheiro do Amor” valoriza muito o ambiente esportivo em que vive. “Gostaria que todos enxergassem no futebol amador da cidade uma forma de lazer. Que os atletas sejam exemplos para os mais jovens e que o futebol possa servir de incentivo às crianças, para que elas acreditem em seus sonhos e se tornem cidadãos com dignidade”.

Enquanto Igor Rafael terá o ano inteiro para comemorar o título de artilheiro do DF, título que divide com Ruan André Neres, atleta do Morro Azul de São Sebastião, também fará questão de exaltar as maiores emoções que viveu no futebol: “Profissionalmente, minha maior emoção foi fazer um coletivo com a Seleção Brasileira. No amador, ser campeão, já adulto, com meu primeiro time de infância, o Estrela Vermelha”.

O rapaz ainda sonha voltar para o futebol profissional, conhecer outros países por intermédio da modalidade e também planeja ajudar as crianças da cidade com algum projeto social.

Ruan André: respeito e confiança no futebol amadorIMG_1362

Ruan André Neres da Rocha, 26 anos, é um dos artilheiros do futebol amador do Distrito Federal. Atacante/meio de campo do Morro Azul, equipe campeã de São Sebastião e que figura na segunda posição do ranking do site futebolamadordf.com, o atleta comemora o título e dedica a boa fase à equipe e ao técnico. “Essa conquista significa muito para mim, pois não é todo ano que isso acontece. Porém, só tenho a agradecer ao meu treinador e aos meus companheiros, porque sem eles, nada disso estaria acontecendo”.

O atacante do Morro Azul também já jogou em algumas equipes Brasil a fora. Atuou no Grêmio de Maringá (PR), Sociedade Esportiva Guaxupe (MG), Botafogo (DF), América (MG) e Ceilandense.

Ruan tinha tudo para fechar contrato com um time grande, mas acabou encontrando um empresário que não pensou em seu futuro e o atleta acabou dispensado. “Eu estava prestes a fechar contrato com um time grande de Minas Gerais, porém o empresário que estava na negociação pediu mais dinheiro que o time estava disposto a pagar e acabou que a equipe me mandou embora. A partir daí, desanimei com o futebol profissional”, comenta Ruan.

Contudo, entre idas e vindas, decepções e frustrações, foi no futebol amador que ele viveu fortes emoções. “Ter disputado os três últimos campeonatos da cidade, chegar a três finais, ter sido campeão em duas delas e ainda ficar com o título de artilheiro das três competições, para mim, foi uma grande emoção, pois não é todo campeonato que isso acontece, ainda mais em São Sebastião, onde o nível é muito elevado”, comenta o artilheiro.

A vida, segundo ele, deu-lhe um baile, mas entende que faz parte. Contudo, não esquece as amarguras do meio. “Minha vida no futebol tinha tudo para ser promissora, mas a vida nos traz muitas surpresas e inúmeras pessoas que vêm para nos atrasar. Porém, isso é no futebol profissional, porque no amador é só alegria, vários títulos e várias artilharias. Consequência de um bom trabalho. Não se trata só de dinheiro, mas de respeito e confiança”, complementa o atacante.

Atualmente, seus maiores desejos são voltados para atender aos anseios da família, mas o futebol ainda permeia seus sonhos. “Meu  maior sonho é conquistar a casa própria, dar um futuro promissor aos filhos e, quem sabe, jogar em um time grande futuramente”.

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close