Share

É para testar o coração

Valência empata com o Londrina em 1 x 1 e conquista a Copa dos Campeões de Planaltina

Os confrontos que ocorrem pelas competições de Planaltina são sempre de alto nível. Não foi diferente no duelo decisivo pela Copa dos Campeões 2016, entre Londrina x Valência. A partida foi realizada no complexo esportivo atrás do estádio Adonir Guimarães, em um dos poucos campos que ainda mantêm a velha tradição do futebol de várzea. Além do belo espetáculo da torcida, as duas equipes deram show de bola, em especial o goleiro Fábio que, com bela defesa, nas cobranças de pênaltis, deu a vitória ao Valência.
O jogo começou pegado, com as duas equipes chegando, mas foi o Londrina que abriu o placar, aos 20 minutos do primeiro tempo. O Valência bem que tentou descontar ainda na primeira etapa, mas sem sucesso.
No segundo tempo, o Londrina voltou cauteloso, mas não deixou de buscar ampliar o placar. Da mesma forma, o Valência sabia que não podia vacilar e precisava do gol de empate para se manter vivo na decisão. O gol demorou a sair, mas veio para levar a disputa para as penalidades.

Emoção

O encontro de dois dos melhores goleiros do futebol amador do Distrito Federal não poderia resultar em outra coisa se não em um grande espetáculo. Isso sem desmerecer os demais atletas de Valência e Londrina, que fizeram bonito em campo durante o tempo normal. Após empate, é chegada a hora de eles mostrarem porque são considerados “monstros” na pequena área.
Um a um, os batedores foram convertendo seus gols. Gendeon, o Geda, do Londrina, passou perto de defender duas cobranças, mas não conseguiu. Fábio, no quinto tiro livre do Londrina levou a melhor no duelo dos feras. Ele fez uma bela defesa e, em seguida, viu seu companheiro converteu o quinto e último pênalti do Valência. Só restou fazer a festa em alto estilo.
Herói do título, o goleiro Fábio ressalta a importância do trabalho realizado no Valência. “Nosso time vem trabalhando há muitos anos, batalhando. Realmente é uma conquista muito especial. Pênalti é competência. Os nossos jogadores foram competentes e um atleta do time adversário não foi tão feliz. “Dedico essa conquista à minha família, minha mãe, meu pai, minha esposa e minha filha e, consequentemente, aos meus companheiros de time”, finaliza o atleta.
O goleiro Gendeon lamentou não ter conseguido defender nenhuma cobrança, mas aproveitou para enaltecer o trabalho do futebol amador em Planaltina. “Infelizmente, hoje, não deu. Essa é a segunda final que disputo contra essa forte equipe do Valência. O Londrina também é uma forte equipe que foi montada para comemorar os seus 40 anos. Estávamos ganhando o jogo e eles acharam o gol, em uma falha nossa, o Giliard achou o empate e levou para as penalidades. Desta vez, não consegui defender nenhum, mas fico feliz em ver o trabalho do futebol de Planaltina crescer”, comemora o Geda.
Segundo ele, a criminalidade em Planaltina está diminuindo porque os jovens têm pratica mais esportes. “Dia 6 passado completei 35 anos. Falo muito para essa garotada jamais desistir. Eles serão o futuro, a nossa continuação. Esse trabalho não vai parar, porque novos frutos virão. Nosso mundo passa por uma transformação e precisamos, cada vez mais, que o esporte fortaleça”.
E completa: Fico feliz em ver que o Valência conquistou com mérito. Poderia ser a equipe do Londrina. Mas isso é fruto de um trabalho que o Sr. Jair vem fazendo no Valência e não é de agora. Esse título vem batendo na porta há muito tempo. Eles estão colhendo os frutos de quem trabalha em prol de ajudar alguém. As duas equipes são mais que campeãs. Neste momento, o que as diferem é um troféu”, acrescenta Geda.

A competição
Nove equipes participaram da Copa dos Campeões de Planaltina: Santa Cruz, Barcelona, Veneza, Mancha Negra, São Paulo, Valência Mestre D’Armas, Vila Nova, Londrina e Falange. O goleiro menos vazado da competição foi Erick Souza, do Santa Cruz, com 2 gols sofridos. Orlando Gomes, do São Paulo, ficou com a artilharia, ao marcar 6 vezes durante a competição. O troféu Disciplina foi entregue ao Santa Cruz.
Exemplo
Cerca de 1,5 mil pessoas estiveram à beira do campo para assistir à final da Copa dos Campeões de Planaltina. O campo fica em uma área aberta e apenas uma fina corda cercava as quatro linhas. Não houve uma invasão de campo, nem mesmo durante as cobranças das penalidades. Comportamento exemplar dos torcedores de Planaltina, que não deram trabalho algum aos policiais militares, muito menos aos organizadores. Parabéns a todos!
Homenagem
A 10ª Copa dos Campeões de Planaltina foi carinhosamente chamada de Copa Bazé, em homenagem a um importante personagem do futebol amador da cidade, Bazé, que nos deixou no início do ano. A família esteve presente para acompanhar todas as manifestações de carinho e todos se emocionaram bastante.
Agradecimentos
O presidente da Liga Desportiva de Planaltina, Ninim, agradece aos apoiadores Pepa, sempre apoiador das competições da liga; Vilmar Lacerda; o administrador de Planaltina, Vicente Salgueiro; à Rádio Alternativa FM, que transmitiu o jogo ao vivo; e ao deputado Julio César.