Share

Eixão do Lazer, aberto até as 18h, ganha mais pedestres e ciclistas

Espaço volta a funcionar com programação original, que havia sido interrompida em razão da pandemia

Fonte: Agência Brasília – Hédio Ferreira Júnior

Há 40 anos, Denise Prado mora na Asa Norte. Por lá, a arquivista de 56 anos fez do Eixão do Lazer um programa quase obrigatório da família aos domingos. Neste (3), ela estava sentada no gramado lateral da pista com o neto Léo enquanto a filha com o namorado e a outra neta passeavam de triciclo na via.

Moradora da SQN 316, ela tem o fechamento do Eixo Rodoviário para a prática de esporte e lazer aos domingos e feriados como uma conquista que não pode ser perdida. Denise se referia à redução em 1 hora do horário de liberação das pistas para os veículos durante a quarentena do novo coronavírus. Desde 25 de dezembro, porém, o horário de encerramento do espaço exclusivo por pedestres e ciclistas voltou ao que era antes da pandemia, das 6h às 18 horas.

Desde 25 de dezembro, porém, o horário de encerramento do espaço exclusivo por pedestres e ciclistas voltou ao que era antes da pandemia, das 6h às 18 horas. Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

O funcionamento do Eixão para atividades físicas e recreativas foi suspenso por dois meses neste ano, em razão da pandemia do Covid-19. Em junho foi retomado, com a via reaberta para o trânsito só até as 17h. A determinação foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 23 de dezembro por meio do Decreto nº 41.633.

“Traz um respiro à nossa rotina ter o Eixão aberto aos pedestres e ciclistas. Essa uma hora a mais, retomando ao que era antes, faz muita diferença para passear por aqui porque é quando o clima está mais fresco”, conta ela, entusiasmada.

O casal de Sobradinho Alexander Oliveira, de 34 anos, e Mikaela Oliveira, de 29 levavam a pequena Cecília, de 3 anos, para conhecer o espaço. Eles mesmos nunca tinham pisado ali – só passado de carro. “Em Sobradinho, não há muitos espaços públicos para brincar. Saber que temos uma área como o Eixão só pra gente praticar esportes e se divertir é um privilégio”, diz Alexandre.

O mesmo sentimento tem o bancário Gabriel Carvalho, de 37 anos. Morador na 710/11 Norte, ele se habituou nos últimos dois meses a andar de bike pelas vias do Eixo de Norte a Sul. Ter de volta a hora a mais é uma vantagem.

“Prefiro que o Eixão permaneça fechado até às 18 horas, como antes. Como estamos no verão e o sol se põe mais tarde, é mais um tempo para que os frequentadores possam aproveitar o dia ao ar livre até o sol se pôr.”, conclui.