FutsalPrincipais

Fineo de Araújo: do Brasil para brilhar em quadras européias

O paulista Fineo de Araújo começou no futsal aos 19 anos. Hoje, aos 32, ele se destaca no Indonésia

Kátia Sleide

Atuando no futebol de campo desde os dez anos de idade, Fineo de Araújo se descobriu no futsal já um pouco mais tarde. Foi aos 19 anos que ele ingressou na categoria Juvenil, desbravando os segredos da bola pesada.

Fineo começou no esporte aos dez anos de idade, numa escolinha extra-oficial do Flamengo. Tornou-se jogador profissional em um time do interior paulista. “Tive a oportunidade de me tornar jogador profissional em um grande clube de Guarulhos, que é o Wimpro.  Era muito forte, porém, hoje, estão parados, devido a alguns problemas financeiros que ocorreram no meio do nosso esporte e ainda mais no futsal”, conta Fineo.

A partir de 2009 que o ala/pivô começou a se destacar no futsal, no São Paulo FC, e, de lá para cá, passou por vários clubes brasileiros e de outros cantos do mundo, mas foi no Corinthians que a vida real se mostrou ao atleta. “Comecei a ser mais profissional e a entender o futsal depois que passei pelo Corinthians, em 2011. Ali eu vi coisas que jamais teria visto na nossa modalidade – que para mim, é a melhor do mundo”.

No Corinthians, o atleta teve a oportunidade de trabalhar com profissionais de algo nível, como ele aponta: “Leandro Simi, Paulinho japonês, Danilo Baron, Arthur filho do PC, Lukaian, Alemão, Julio Cezar, entre outros. Aprendi muito com eles taticamente e entendi mais o futsal. Evoluí muito e sou muito grato por ter jogado ao lado de grandes jogadores”, comenta Fineo.

Depois da grande experiência que teve no Corinthians, Fineo se transferiu para o Paraná Umuarama, em 2012, e atuou em uma competição bastante acirrada. “Logo que saí do Corinthians, me transferi para o campeonato bastante disputado, no Paraná. Todos os jogos eram decisivos e isso também me ajudou a não relaxar, me ensinou a ser competitivo até nos treinos, que para mim, passou a ser jogo, não gosto de perder nem no jogo de botão”, risos.

Do Brasil para o mundo

Depois dessas duas passagens em equipes brasileiras, Fineo atuou em outras grandes equipes: Polytch Futsa (Rússia/2012), Maringá Futsal (2013); Araz Naxçivan (Azerbaijão/2014 a 2016); Agleymina Hamamatsu (Japão/2017); Zhuhai Ming Shi FC (China/2018); São José Futsal (2018); e, atualmente, no IPC Pelindo II Futsal (Indonésia).

Embora já estivesse jogado na Rússia, em 2012, foi no Azerbaijão que o atleta pontuou o começou da realização dos seus sonhos. “O país que me deu uma oportunidade e realizou meu sonho em jogar em uma seleção em 2014, a seleção do Azerbaijão. Sou grato a eles por tudo que tenho hoje, que conquistei na minha vida e para a minha família. Sou grato a eles por ter jogado uma Copa do Mundo, Eurocopa, eliminatórias européias, entre outras competições de expressão nacional e internacional”, lembra, com gratidão, Fineo.

Indonésia

Os caminhos foram se abrindo para o ala/pivô e várias oportunidades foram batendo à porta, como a transferência para a Indonésia, onde joga atualmente. A liga daquele país está em ascensão e necessita de jogadores de seleção para evoluir ainda mais e abrilhantar o campeonato.

Com este propósito, um empresário tailandês o procurou. “Um empresário/jogador da Tailândia  veio me fazer uma proposta para ir jogar pela Liga da Indonésia. Mandei meus vídeos,  eles gostaram e me contrataram para esta temporada. Hoje, atuo no IPC Pelindo Futsal”, conta o pivô, que lembra que além dele, na mesma época, foi um outro jogador brasileiro naturalizado paraguaio, o Neto Veiga.

Na Indonésia, segundo Fineo, a maior dificuldade é falar a língua do país. “É muito difícil e a alimentação também é muito diferente da do Brasil. Essas são minhas principais dificuldades, mas o resto, vamos tentando nos adaptar o mais rápido possível”, diz.

No caminho do sucesso não se anda sozinho

Para Fineo, o sucesso se constrói em conjunto, aproveitando as oportunidades profissionais e também não se desligando das pessoas que parecem anjos em sua vida e não apenas para o sucesso no futsal, mas também para chegar até aqui. “Tenho de ser coerente com vários nomes que me ajudaram a evoluir no esporte, como Cássio, na época da escola Valdivino Silas, e Ricardo, diretor do Wimpro Futsal”, agrade o atleta.

Na vida pessoal, Fineo se lembra das dificuldades que a família enfrentou quando ele era criança. “Não posso nunca deixar de falar do Sr. Alvo, pai do Higor (hoje goleiro da seleção do Japão. Quando eu era criança, eles ajudavam minha finada mãe, Dona Hilda, com uma cesta básica, uma vez por mês. E falavam para ela que eu teria futuro. Graças a Deus, a coisas começaram a prosperar a partir de 2011, quando tive o prazer de jogar no Corinthians e ser treinado pelo treinador que é considerado no mundo do futsal um dos melhores, se não for o melhor, na minha opinião, o PC de Oliveira. Ali, aprendi a ser profissional e a ter gana de estar sempre 100% da minha forma física e tática”, comenta o atleta internacional.

Entre os melhores do mundo

Sonhar jogar em grandes clubes é uma caixinha de lugar comum para qualquer atleta, mas em pouco tempo, Fineo viu seus sonhos se tornarem realidade e conta com orgulho dos grandes eventos que participou. “Realizei muitos sonhos profissionalmente. Joguei Copa do Mundo e Eurocopa pela seleção do Azerbaijão. Pude participar do grande evento Reis do Drible da TV Globo, ao lado de Falcão. Pude jogar ao lado de grandes jogadores do cenário nacional e internacional. E atuei em grandes clubes como o Corinthians e São Paulo FC”.

Com tantas realizações, o atleta é só agradecimento. “Agradeço, primeiramente, a Deus, por todas as bênçãos em minha vida! A toda minha família, aos meus amigos e a todos os meus fãs que me incentivam e admiram o meu trabalho. Agradeço também todos os clubes, técnicos e jogadores que pude trabalhar em conjunto e que ajudaram profissionalmente”.

Também fala com carinho e agradecimento sobre o Bairro Jardim Acácio de Guarulhos, onde passou sua infância.

E os agradecimentos não param por aí: “Agradeço, em especial, a Kátia Sleide, editora do jornal Viver Sports, por toda a atenção nesta entrevista e pela divulgação. E ao Carlos Paiano, que trabalho no marketing esportivo e fez esse meio campo onde nesta matéria as pessoas possam conhecer a minha trajetória no mundo do futsal”, agradece o atleta.

Trabalhar, acreditar e realizar

Tudo aconteceu em muito pouco tempo na vida de Fineo de Araújo. O atleta que viu a vida mudar aos 19 anos quer ser exemplo para vários jovens que sonham com um futuro promissor no meio esportivo. “O que tenho a dizer para todos os atletas de futsal e de futebol é que nunca desistam dos seus sonhos. Acredite que é possível, pois uma hora alguém vai te ver. Nunca se esqueça que sempre tem alguém olhando para você”, diz Fineo.

Realizado e ainda cheio de projetos, o jogador  também tem seu lado empresarial se desabrochando. Este ano, criou sua própria marca de roupas e bonés “Visão Passada”. Era um sonho que estava em mente há um bom tempo e finalmente conseguiu realizar.

“Neste ano, consegui realizar mais um sonho, criei uma marca de roupas. Os produtos já estão à venda. Entregamos via sedex para todo o Brasil e o contato: (11) 9 3012-1306. E para me seguir no Instagram, o endereço é: www.instagram.com/fineofutsal87.”

Porém, embora tantas realizações, ainda tem algo a se concretizar: “O meu grande sonho e objetivo profissional é jogar a próxima Copa do Mundo Fifa de Futsal, que será disputada em 2020, na Lituânia. Estou bem fisicamente e tecnicamente e preparado para representar a Seleção do Azerbaijão e fazer uma grande campanha na copa”, finaliza o atleta.

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close