Futebol

Gol de placa em Planaltina-GO

Parceria com o Ajax Cruzeiro tem o objetivo de levar aos jovens de Planaltina-GO melhores oportunidades com o esporte
Projeto Udev, de Brasilinha, ganha parceiros de peso, como Ajax Cruzeiro e Fut’Art Guará

Se a situação para o esporte amador no Distrito Federal já não é boa, em muitas regiões do Entorno é pior ainda. Porém, mesmo com todas as dificuldades, há pessoas que acreditam no futuro de muitos jovens e os ajudam a reescrever suas histórias. Esse é o caso de um grupo que atua em Planaltina de Goiás (Brasilinha-GO), cidade do Entorno distante 63km da Capital Federal. Estão à frente do projeto Udev Ajax Futsal (União, Dedicação, Esforço e Vitória Ajax Futsal) Adenil dos Santos Matos, o Nem; Ricardo Sousa; e Mauro Lúcio de Jesus.

Tudo começou com as irmãs Sandella e Meirielle Gomes dos Santos, que adoravam ir à quadra da 17 Norte de Brasilinha para brincar. Um dia, elas pediram a Nem que as ensinasse a jogar futebol. A partir daí, a garotada foi chegando e, com isso, o projeto ganhou também o apoio de Mauro e Ricardo.

Atualmente, cerca de 200 crianças e jovens praticam futebol na quadra, mas as dificuldades para levar o projeto adiante são muitas, pois faltam materiais esportivos, dinheiro para viabilizar competições e outras necessidades. “A falta de apoio leva um grande número a desestimular, desistir de jogar e alguns acabam ficando vulneráveis às situações de riscos sociais”, observa Nem. Ele acrescenta: “Uma ferramenta poderosa para evitar que as crianças caiam nas ciladas do tráfico é o esporte, mas para isso, precisamos oferecer condições melhores a elas”.

Voluntários pedem apoio

Ricardo Sousa, um dos professores voluntários do projeto Udev Ajax Futsal (União, Dedicação, Esforço e Vitória Ajax Futsal), trabalha há quatro anos com os meninos. Formado em Administração, o rapaz gostaria de poder fazer mais, porém, é impossível sem apoio. “Tiramos do próprio bolso para ajudá-los e mesmo assim não é suficiente”, diz Ricardo.

O professor conta que busca apoio na iniciativa privada, mas dificilmente consegue. “Temos dois empresários da cidade que ainda contribuem: o ConstruReis Material de Construção, que algumas vezes ajuda com o transporte dos meninos, e o Superbairro Supermercado, que nos fornece água nos fins de semana, durante as aulas”, informa Ricardo.

Nem e Sandella acreditam nas ações do projeto para livrar os jovens da cidade de situações de risco

Atletas e moradores também clamam por melhorias

As crianças de Brasilinha e suas famílias já estão afinando o discurso quanto às necessidades da cidade. Sandella Santos, hoje com 14 anos, segue jogando futebol, porém, a jovem apela às autoridades que olhem para eles. “Há muito para ser feito aqui, mas se pelo menos reformassem a quadra e cobrissem, já seria um grande avanço”, solicita a atleta.

A pivô Taís Stéfani também faz parte da escolinha. A jogadora acredita que o futebol ajuda os jovens a ficarem longe de situações de risco, mas para ter maior eficiência, é preciso apoio. “Esse projeto é muito importante, pois só de estar livre das drogas, da criminalidade, já uma grande vitória. Aqui não tem nada de lazer e entretenimento e meu sonho é ver Brasilinha uma cidade descente”, diz a jovem atleta.

João Vítor Monteiro Costa, 13 anos, goleiro, está na escolinha há três anos e também insiste na reforma da quadra. “O esporte é alegria e a gente não pode desistir, por que senão a disposição vai embora. E para que isso não ocorra, precisamos da reforma da quadra”, enfatiza Vítor.

Associação

Ildaildes Batista Nepomuceno mora em Brasilinha há um ano e já deu um passo importante, que é a mobilização dos pais dos alunos da escolinha para criarem uma associação. Ildaildes espera, com isso, fortalecer a comunidade e conseguir atender as demandas dos moradores.

“Os jovens daqui precisam, de fato, de uma reforma na quadra. A falta de estrutura deixa os meninos vulneráveis. Eles veem outros conseguirem coisas bacanas por meio do tráfico e vão querer fazer o mesmo”, alerta Ildaildes.

Seco e William já planejam novas ações em Planaltina-GO

Parceria é o começo de novos tempos

O projeto desenvolvido por Adenil dos Santos Matos (Nem), Ricardo Sousa e Mauro Lúcio de Jesus ganhou aliados de peso. Há duas semanas, oAjax Cruzeiro abraçou a causa e fechou parceria com o Udev Ajax Futsal. E tem como padrinho William Cleber Sousa Farias, presidente da Liga Candanga de Futsal do Distrito Federal e professor responsável pela Escolinha Fut’Art do Guará.

“A intenção é ajudar na formação desses atletas e proporcionar melhores condições para que eles participem de campeonatos, tanto no DF quanto no Entorno”, informa Alessandro Henrique Maciel (Seco). Para ele, usar o futebol para unir forças em prol da formação de cidadãos do bem tem uma energia tão positiva que não é possível determinar onde isso pode parar. “De lá, podemos tirar muitos craques. E mesmo que a maioria não se torne jogadores profissionais do futebol, no mínimo serão cidadãos dignos, agindo em prol da comunidade local”, acredita Seco.

E ele faz questão de frisar o quanto o apoio da comunidade local também é importante. “O Ajax Cruzeiro tem o Quiosque Vôo Livre como paceiro. E não me canso de falar o quanto o senhor Ênus (proprietário do Quiosque Vôo Livre) é importante para todos nós. Outros como ele poderiam aparecer”.

Frutos

A união do Ajax Cruzeiro com o Udev Ajax Futsal começou há pouco tempo, mas já rendeu uma boa notícia a um dos alunos de Brasilinha. Gabriel viajou, a convite do Flamengo Brasília, para a compor o time Sub-12 que está disputando um tradicional torneio, em Rancharia-SP, com todas as despesas pagas pelo Rubronegro. “Graças a Deus, realizamos um trabalho sério no DF e por meio dele é que podemos contar com parceiros como o Flamengo e outras grandes escolinhas de Brasília”, comemora Seco. E acrescenta: “Esse é apenas o primeiro passo de muitos que virão”.

Eles só querem melhores condições para continuar o trabalho com jovens atletas da região

Família unida pelo futebol

A família de Edmilson Felizardo da Silva, 73 anos, morador de Planaltina-GO (Brasilinha) também enfrenta dificuldades para manter a escolinha de futebol. Com as filhas Ediana Barbosa da Silva, 34 anos, Elisângela Barbosa da Silva, 31, os genros, e a técnica Francisca Alves de Sousa, 34 anos, o senhor, simpático e apaixonado por futebol, mantém a escolinha Vila Norte, com 45 jovens, entre seis e 17 anos. Os atletas treinam no ginásio da cidade, o que gera um custo mensal de R$ 200 e no campo sintético, onde pagam R$ 60 a hora. Os jogos são realizados aos sábados e domingos.

Eles participam de campeonatos em Sobradinho, mas, segundo Elisângela, o custo é alto. “O transporte público é muito difícil. Meu maior sonho é poder registrar a escolinha e ter melhores condições para oferecer a eles”, diz Elisângela.

Guerreira, Elisângela não desiste. Ela se apega aos exemplos bons que têm à sua volta. “Adriane, que está na Seleção Brasileira, jogava com a gente e ninguém botava fé e hoje ela está lá, dando show”, conta Elisângela Barbosa.

A Vila Norte também é um projeto que precisa do apoio da Prefeitura de Planaltina-GO e de comerciantes locais. Só assim, será possível dar continuidade ao trabalho e valorizar os atletas da cidade.

Prefeitura está disposta a ajudar

De acordo com José Carlos Sousa, secretário do prefeito José Olinto Neto, de Planaltina-GO, os problemas vêm de muito tempo, mas todos estão trabalhando para corrigir. “Esse é o prefeito que mais fez pelo esporte da cidade. Ele foi o primeiro a firmar convênios para realização de campeonatos e ajudar de várias formas o futebol amador da cidade”, diz.

Segundo o secretário, o prefeito é muito ligado ao esporte e muitas ações estão sendo propostas e realizadas para a comunidade. “Ele é um cara que está nos campos, acompanhando os campeonatos e sabe das necessidades, mas é preciso ter paciência, pois não se resolve tudo de uma vez”.

Com relação às quadras de esporte, o secretário reconhece que é preciso reformá-las e, segundo ele, a prefeitura está tomando todas as providências. “Fizemos licitação para reformar várias quadras, mas a empresa não deu conta e tivemos de cancelar o processo e licitar novamente, mas todas serão reformadas”, garante José Carlos.

Convênios

Além dos problemas estruturais, o secretário faz um alerta: “Para que um projeto receba o apoio da prefeitura, é preciso que ele esteja dentro da legalidade. A viabilidade do projeto se dá por meio de convênio e para firmar esse convênio, é necessário que exista registro da associação, que o projeto traga previsão de quantos alunos serão atendidos, os horários, de que forma. E firmado o convênio, o repasse de verba se dá mês a mês, mediante prestação de contas”, explica.

José Carlos aconselha ainda que o Udev Ajax Futsal procure a prefeitura para se informar dos trâmites e, tão logo tudo esteja certo, é possível que o projeto receba, por meio de convênios, ajuda com material esportivo e outras necessidades.

 

[nggallery id=33]
Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. prezada amiga Kátia quando eu atualizar a prestação de conta, vamos conversar, e marcar um amistoso, na categoria com idade 99 – 200 – 2001, ai sim, podemos fazer uma parceria.
    abraço Raimundo Batista Da Silva.
    endereço, quadra MR 06 casa 36 Setor Norte, CEP 73751-120 Planaltina estado de Goiás, Fone 60) 3637-4220 ou 61) 9142-5899.

  2. Me chamo indio ou ere gostaria de saber sobre esse projeto como funciona temos atletas bons dr bola na categoria 97 98 99 2000 e 2001 tinha uma escolinha mas gostaria de voltar essas garotada sao filhos dr atletas da nossa cidade eu como apaixonado por futebol coloquei um time por causa de meu filho porque uma vez levei ele pra jogar eo dono do time disse que ele era pessimo pra futebol ai fui campeao fraudinha varias vezes nunca consegui registrapor que so era eu e minha esposa o custo eta alto conheço demad o vereador josr carlos nao sabia desse projeto udev me ajuda que Deus vai te dar em dobro pelo o que faz pelo futebol

  3. Me chamo indio ou ere gostaria de saber sobre esse projeto como funciona temos atletas bons dr bola na categoria 97 98 99 2000 e 2001 tinha uma escolinha mas gostaria de voltar essas garotada sao filhos dr atletas da nossa cidade eu como apaixonado por futebol coloquei um time por causa de meu filho porque uma vez levei ele pra jogar eo dono do time disse que ele era pessimo pra futebol ai fui campeao fraudinha varias vezes nunca consegui registrapor que so era eu e minha esposa o custo eta alto conheço demad o vereador josr carlos nao sabia desse projeto udev me ajuda que Deus vai te dar em dobro pelo o que faz pelo futebol telefone para contato e o 9133 6167

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close