FutsalPrincipais

Minas Icesp Brasília é campeão da Taça Brasil de Clubes

Com 5 jogos, um empate e quatro vitórias, equipe fica em primeiro lugar na Sub-20 Feminina (Divisão Especial)

Kátia Sleide

Por intermédio da Apcef/Adef/Upis, Brasília sediou a Taça Brasil de Clubes –  Sub-20 Feminina (Divisão Especial), competição organizada pela Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) e com o apoio da Federação Brasiliense de Futebol de Salão (Febrasa), de 14 a 18 de novembro, no ginásio de esportes do Cruzeiro. O título, disputado por seis equipes, ficou com o Minas Icesp Brasília, que em cinco jogos, venceu quatro e empatou um, somando 13 pontos ao final.

A competição reuniu equipes de ponta do cenário nacional, o que a tornou bastante competitiva, mas o Minas Icesp Brasília superou as dificuldades e conquistou o título.

Na primeira rodada, o time enfrentou a Associação Leoas da Serra (SC) e empatou em 5 x 5. Na segunda rodada, pegou o Londrina Futsal e venceu por 6 x 3.

Corria atrás o título, paralelamente, o São José Futsal e a Apcef/Adef/Upis. O primeiro venceu duelo do dia 14 contra o Clube Jaó (GO) por 12 x 1 e, no segundo desafio, bateu a Associação Leoas da Serra (SC), por 4 x 2.

Por outro lado, a Apcef/Adef/Upis derrotou o Londrina por 5 x 2 e, na segunda rodada, bateu o Clube Jaó (GO) por 5 x 1.

A partir da terceira rodada, Minas Icesp Brasília e São José começaram a despontar. No confronto caseiro, o Minas Icesp Brasília derrotou a Apcef/Adef/Upis por 5 x 2, enquanto o São José bateu o Londrina por 2 x 1.

As equipes chegaram à quarta rodada com a mesma firmeza e também venceram seus confrontos contra o Clube Jaó (GO) (2 x 0) e Apcef/Adef/Upis (6 x 3), levando a disputa pelo título para a última rodada, em confronto direto.

O São José, até então, somava 12 pontos. O Minas Icesp/Brasília estava com 10. O empate na quinta rodada daria ao time paulista o troféu de campeão.

Mas o Minas não queria pensar em deixar o título escapar de Brasília e lutou bastante no confronto contra o São José. Com um futsal de altíssimo nível e em jogo bastante tenso, a equipe do DF tinha Laissa Nascimento, a Novinha, que fez o gol da vitória, dando ao Minas Icesp a satisfação de erguer o troféu de campeão da Taça Brasil de Clubes –  Divisão Especial (Sub-20 Feminina).

A consolidação de um trabalho sério

Em dois anos de filiação à Federação Brasiliense de Futebol de Salão (Febrasa), o Minas Icesp Brasília foi campeão em 2016 e 2017 (e está disputando a final neste ano) da categoria Sub-20 Feminina.

Para a equipe, que está em seu segundo ano investindo no futsal, o título é o reconhecimento de um trabalho feito com seriedade e persistência, como aponta a dirigente Nayeri Albuquerque: “Em 2016, iniciamos a nossa caminhada no futsal. Nos  filiamos à federação de Brasília. Na  categoria Sub-20, com muita força de vontade e trabalho, conseguimos o primeiro título brasiliense, o qual nos deu a oportunidade de disputar a Taça Brasil 2017, em Manaus. Estávamos vivenciando um sonho, mas, por algum motivo que não entendemos, naquele ano, Deus nos proporcionou o vice-campeonato”.

Em um primeiro ano de competição nacional, o vice-campeonato já era um grande feito, porém, para a equipe, não bastava, e todos continuaram com foco no trabalho e na busca de um título nacional.

“Mal sabíamos que Ele estava preparando algo muito maior e grandioso. Tivemos que tivemos que nos reerguer e batalhar novamente pelo Brasiliense de 2017 para lograrmos a vaga para o ano de 2018, e assim fizemos. Conseguimos nosso bicampeonato Brasiliense, e mais uma vez Deus nos possibilitou tentarmos novamente. Ele nos fez evoluir, nos fez acreditar e nos provou que os nossos sonhos têm de ser do tamanho da Sua existência, da Sua grandeza imensurável. Sonhamos, trabalhamos e lutamos e, hoje, somos campeãs da 12ª Taça Brasil de Clubes –  Divisão Especial (categoria Sub-20 Feminina)”, conta Nayeri Albuquerque.

Para a dirigente, a competição foi de alto nível, com grandes participantes, entre elas a campeã do certame de 2017 (Leoas da Serra). “Estamos inteiramente realizadas e felizes, sinônimo de dever cumprido, uma vez que estamos desde do início do ano trabalhando para esta competição”.

E finaliza: “Agradecemos o apoio dos nossos familiares, da nossa torcida, que compareceu e fez bonito, e de todos aqueles que, diretamente ou indiretamente, acreditaram no nosso trabalho e que seria possível deixar esta taça em Brasília”.

Entre os melhores do País

O técnico da equipe, Marcos Carvalho, entende que a conquista é mega importante, pois o clube é novo. Segundo ele, “resultado traz credibilidade e, para o Minas Icesp Brasília, é um feito fantástico, pois colocamos a equipe no patamar mais alto em pouco tempo de trabalho. Figuramos entre os melhores do País agora e as equipes de fora já olha para o Distrito Federal com mais respeito”, comenta o treinador.

Para Marcos Carvalho, este é o títutlo que faltava. “Essa geração 98/99 me deu todos os títulos possíveis. Fomos campões Sub-15, Sub-17, Sub-20 de Brasília; campeão Brasiliense Escolar e Brasileiro; campeão mundial. O que eu poderia querer mais que isso, não é mesmo?

E arremata destacando o trabalho e o que há ainda para se melhorar: “Muito trabalho, muitas perdas para poder se ganhar algo. Temos muitas coisas para melhorar, principalmente me gestão, mas o desenvolvimento mostra do que somos capazes. E se só o resultado não é suficiente para se atribuir qualidade ao trabalho, pelo menos serve de motivação para continuar a lutar”, comemora o técnico Marcos Carvalho.

Diego Alves, auxiliar técnico, e Marcos Carvalho, técnico do Minas Icesp Brasília

Laissa Nascimento: autora do gol da vitória e do título

Com 19 anos de idade, Laíssa Nascimento, mais conhecida por Novinha, faz parte do elenco do Minas Icesp Brasília há quase dois anos. A atleta é um dos destaques da equipe e, na competição, marcou cinco gols, entre eles o gol que deu o título ao Minas Icesp Brasília. Os demais foram marcados pela estrela do time, Victória Kristine Albuquerque (8), Ana Keyla Morais (3) e Geovanna Abílio (3).

“Estou muito feliz, porque já é muito satisfatório ajudar a equipe, de alguma forma, e a melhor delas foi marcar o gol naquele momento”, comemora Novinha, que dedica o título a equipe do Minas Icesp e, principalmente, às meninas da categoria Sub-20.

Assim como Nayeri Albuquerque, Novinha faz alusão à competição de 2017, em Manaus: “Esse título veio na hora certa, porque tivemos uma segunda oportunidade de fazer diferente. Ano passado, ficamos em segundo lugar na Taça Brasil Sub-20 e não esquecemos a derrota. Então, para nós, atletas, e para a comissão, tínhamos que fazer algo diferente para conquistar esse título e foi isso que fizemos”, enaltece a craque.

Assim como não esqueceu a derrota de 2017, Novinha vai se lembrar para sempre do feito em 2018 e aproveita para destacar os pontos altos da competição. “Quero parabenizar todas as equipes que participaram da Taça Brasil e também à organização da competição”.

Entre dificuldades e sonhos

Laissa Nascimento (número 11) nasceu em Ceilândia e joga futsal e futebol há 12 anos. Ela conta que a maior dificuldade que enfrenta como atleta é o preconceito. “O preconceito é sempre a principal dificuldade, quando se trata de futebol feminino. A falta de patrocínio para as equipes femininas também é um grande desafio a ser vencido”, comenta a atleta.

Mas entre as dificuldades e as realizações, Novinha destaca algumas: “Nesses anos como esportista, posso destacar que realizei um sonho, quando fui convocada para a Seleção Brasileira de Futebol de campo, nas categorias Sub-17 e Sub-20. Mas ainda tenho um sonho a realizar, que é chegar à Seleção Principal”, destaca a atleta.

Números da competição

Taça Brasil de Clubes –  Divisão Especial (Sub020 Feminina) realizou 15 jogos entre os dias 14 e 18 de novembro. Seis equipes participaram da competição: Apcef/Adef/Upis (DF), equipe sediante; Associação Leoas da Serra (SC); Clube Jaó (GO); Londrina Futsal Feminino (PR); Minas Icesp Brasília; e São José Futsal (SP).

Foram marcados 104 gols ao todo, uma média de 6,93 por partida. A Associação Leoas da Serra (SC) teve o ataque mais positivo, balançando as redes 26 vezes. O São José Futsal (SP) ficou com o troféu de defesa menos vazada, com 8 gols sofridos, e com o troféu da artilharia, com Beatriz Souza Fernandes, a Bia, que balançou as redes 10 vezes durante a competição.

Classificação final

  • Minas Icesp Brasília, 13 pontos;
  • São José Futsal (SP), 12 pontos;
  • Leoas da Serra (SC), 7 pontos;
  • Apcef/Adef/Upis, 6 pontos;
  • Londrina Futsal, 6 pontos;
  • Clube Jaó (GO), 0.

Leia também: Apcef/Adef/Upis emociona público com ação social

 

 

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close