Esportes

Pelo bem da população

Tem grandes promessas no taekwondo e em todas as modalidades do IACC, mas os recursos para manter o projeto são muito poucos
Mesmo sem muitos recursos, instituição colhe frutos do esforço de seus mestres e alunos

Com pouco recurso o Instituto Arte, Cia. e Cidadania (IACC) sobrevive há cerca de 20 anos com a colaboração de voluntários e algumas empresas privadas. A instituição visa, por meio da arte, esporte e lazer, promover a inclusão social. Com cerca de 450 alunos, a entidade fica em Samambaia e tem a maior equipe de Taekwondo do Distrito Federal. Além de luta, oficinas de jiu-jitsu, escolinha de futebol, ginástica para melhor idade e inclusão digital são oferecidas pelo IACC a toda comunidade.

A história da instituição começou com Claudeci Martins, que criou o grupo de dança cultural Si Bobiá a Gente Pimba, na ativa até hoje. No ano passado, ficou em sexto lugar no Concurso Nacional de Quadrilha, realizado no mês de setembro, em Sergipe. “Tudo começou com ensaios do grupo na rua. verificamos que havia pessoas que não queriam dançar, mas desejam ocupar o tempo com outro tipo de atração, então, começamos a abrir oficinas”, conta William Lima, presidente do Instituto e técnico da Seleção Brasiliense Masculina de Taekwondo.

No início, a instituição oferecia cursos para outras regiões administrativas, mas como os recursos são escassos, teve de limitar o atendimento apenas a Samambaia. O IACC funciona em um prédio, na quadra 310 de Samambaia. Apesar de pagar aluguel, o local é considerado uma casa de sonhos, que reúne pessoas de todas as idades.

As despesas como aluguel, luz e água são pagas com a ajuda de empresas privadas. Quando as doações não são suficientes, sobra para o presidente do IACC, William Lima, que arca com tudo para não deixar os trabalhos morrerem.

Segundo ele, a população também ajuda, voluntariamente, com produtos de limpeza e materiais administrativos. Para melhorar o condicionamento físico dos alunos a Academia Bio Fitness oferece bolsas de estudos para alguns atletas. O sonho é conseguir a sede própria e evitar algumas despesas.

Superação

Sonhar e fazer acontecer é a realidade de muitos integrantes do Instituto Arte, Cia. e Cidadania. Entre crianças, adolescentes e adultos o pensamento é um só: vencer os desafios. “O esporte me ajudou a superar um sopro no coração. Quero ir para seleção brasileira, defender o Brasil e o esporte que me ajudou”, declara sorridente, Ismael Lemos Barbosa, 16 anos.

O jovem coleciona resultados positivos em campeonatos de taekwondo e só pensa nas próximas competições. No Brasileiro deste ano, ficou em terceiro lugar.

As crianças também estão se destacando e algumas já estão fazendo histórias, conquistando medalhas nas disputas regionais. “Treino desde os meus dois anos e já ganhei 12 medalhas”, diz Lyann Isaac, quatro.

Ações que viabilizam sonhos

Não há idade para a prática de esporte. Há um ano e meio, Ana Cléa, 37 anos, o marido e os dois filhos mais novos frequentam as aulas de Taekwondo. A falta de recursos financeiros para pagar pela modalidade e a asma a impediram de praticar o esporte.

O tempo passou e ela não desistiu de realizar o sonho. E, com as aulas gratuitas do instituo, Ana se sentiu à vontade para tentar na luta. “Quando eu via os garotos passando, com o quimono branco, na porta de casa, meu coração disparava. Eu sempre tive muita vontade de lutar, mas o que me impendia era minha doença e por ser muito caro as aulas nas academias”.

Além de realizar um sonho, Ana conseguiu amenizar a doença, devido aos exercícios físicos que o esporte proporciona. “Eu vim só para ver como eram as aulas, praticar algum esporte e sair do sedentarismo. Apaixonei-me pela luta e estou até hoje”, diz Ana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[nggallery id=61]
Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Esse é um progeto que não pode parar . O professor Wilian ajuda muitas criaças a se manterem logem das ruas e longe de drogas. Meu filho faz Taekwondo á q uase dois anos e percebo a mudança no comportamento dele. Não temos condições de pagar um esporte em outro local para ele e no instituto ele tem a chance de tê-lo

  2. Parabéns ao ViverSport por esta materia, sou pai de dois alunos que praticao Taekwondo, meus filhos e eu estamos satisfeito com o trabalho do Mestre Willian e de toda equipe do IACC.
    Precisamos de melhoras e esta materia veio sustamente pra aletar aos governantes da nossa sociedade que o esporte liberta a todos das drogas, marginalidade, e traz um bem a saúde. e que tudo isto e apenas um aliado do estado, e que deve ser visto com bons olhos.

  3. Hoje minha irmã foi levar nossos filhos para aula e descobrimos que o instituto esta passando por dificuldades e corre o risco de ser ate fechado, fiquei muito triste em saber, pois meu filho frequenta as aulas de Taekwondo, e ele adora, pelo que percebi o mestre William Lima e uma pessoa muito dedicada e adora o que faz, vejo o quanto ele motiva e se torna amigo das crianças, mas e nesse momento que eu me pergunto, cadê as pessoas que dizem que criaram o instituto? e fizeram os seus nomes em cima do instituto, onde eles estão? e essas falcatruas que fizeram envolvendo o nome do instituto, cadê esse 1 milhão de reais que foi supostamente doado a ONG, isso e muito ridículo desviar dinheiro em nome das crianças, e uma pena que nesse País não exista punição para aqueles que nos governa. Parabéns para o professor que vem mantendo o instituto e desse tipo de gente que precisamos gente que acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close