Cidades

Planetário de Brasília é reinaugurado após 16 anos

Reforma incluiu adaptação do prédio, aquisição de novas tecnologias e resgate de equipamentos antigos
Reforma incluiu adaptação do prédio, aquisição de novas tecnologias e resgate de equipamentos antigos

O Planetário de Brasília foi reinaugurado nesta quarta-feira (11) pelo Governo do Distrito Federal, após ficar 16 anos sem funcionar. O monumento passou por uma reforma, que implantou tecnologia de ponta, ao mesmo tempo em que resgatou parte do antigo projetor. A partir de amanhã, as portas estarão abertas para o público.

“A entrega dessa obra é um exemplo dos constantes esforços do atual governo em recuperar e aperfeiçoar os locais públicos do DF, em grande parte sucateados”, disse o governador Agnelo Queiroz, durante a cerimônia de reinauguração.

O novo projeto, gerenciado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), custou R$ 13 milhões, divididos entre as obras no prédio – realizadas pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) -, aquisição de novos equipamentos e reforma dos antigos.

O antigo equipamento de projeção, o SpaceMaster, foi reformado e um novo modelo atualizado, o Power Dome VIII, foi instalado. Atualmente, só existem dois modelos desse aparelho em funcionamento, ambos na Alemanha. Brasília será a primeira cidade do Brasil a ter acesso a essa tecnologia, capaz de projeções multidisciplinares imersivas com efeitos tridimensionais.

Os aparelhos podem ser utilizados juntos ou separados. Os projetores levam a assinatura da empresa Carl Zeiss, a mais renomada e completa fábrica de planetários do mundo.

“A primeira tarefa era restaurar o SpaceMaster, a vedete do Planetário, que está na memória de muitos brasilienses. Mas não era possível ignorar anos de avanço tecnológico. O prédio precisava ser completamente renovado e adaptado cumprindo todas as exigências”, explicou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Glauco Rojas.

A reforma deixou a cúpula de projeção com capacidade para receber 82 pessoas, considerando duas delas para obesos e dois espaços para cadeirantes. Para o conforto do público, foi estabelecida a distância de 57 centímetros entre os assentos.

O Planetário, que fica atrás do Centro de Convenções Uilisses Guimarães e perto do Clube do Choro, funciona de terça-feira a domingo, com sessões abertas para o público e agendadas. Durante a semana, as portas abrem às 8h e fecham às 20h. Nos finais de semana, o horário de funcionamento é de 13h as 17h. Nos dias da semana, estão programadas duas sessões pela manhã, duas pela tarde e uma à noite. Nos finais de semana, estão previstas três apresentações por dia: 14h, 15h15 e 16h30.

A princípio, o Planetário passará por uma fase de avaliação, tanto na operação quanto na demanda. Por isso, esses números podem mudar conforme as necessidades e o cotidiano de operação.

Considerando os padrões iniciais, a expectativa é um público de 400 pessoas por dia durante a semana para as sessões de exibição da cúpula. Nos finais de semana, inicialmente, a previsão são 240 visitantes diariamente. Vale ressaltar que a reforma permitiu ao prédio uma capacidade máxima de 600 visitantes diariamente.

Instituições de ensino poderão levar alunos agendando horários de visitação. O contato poderá ser feito por telefone. A estrutura também vai oferecer horários abertos para o público em geral. Informações detalhadas sobre filmes e horários estarão disponíveis na página eletrônica da SECTI (www.secti.df.gov.br). Em relação ao ingresso, será cobrado um quilo de alimento não-perecível por pessoa a cada sessão.

“Tenho oportunidade de aprender aqui”, disse o aluno do Centro de Ensino Fundamental 10, do Guará, Guilhermer Coqueiro, de 12 anos.

Acessibilidade e segurança – O projeto possui diversos mecanismos de acessibilidade em toda a sua estrutura, a exemplo dos banheiros adaptados. Para facilitar a locomoção de portadores de deficiência visual foram instalados sinalizadores em alto relevo no chão do edifício. Quanto à segurança, existem câmeras de monitoramento e mecanismos contra incêndio, como detectores de fumaça e calor. O prédio conta, ainda, com três portas para entrada e saída de pessoas. Para proteger o prédio contra pichações será aplicada uma cobertura antipichação na fachada.

Nos primeiros meses de funcionamento, a gestão do Planetário ficará à cargo da SECTI. Posteriormente, a pasta contratará uma empresa de manutenção predial. Em relação à operação, a ideia é selar uma parceria com a comunidade acadêmica.

Novas etapas – Além da cúpula de projeção, o edifício possui novos espaços multidisciplinares para aulas e eventos. Esses espaços serão abertos para exposições, oficinas e palestras. Na reabertura, o Planetário trará exposições para os visitantes. Uma delas será da Agência Espacial Brasileira (AEB), outra é do Clube de Astronomia de Brasília. Dessa forma, o projeto vai além do conceito de um espaço para projeções na cúpula e ganha musculatura para se tornar um centro para estudos científicos, cultura e eventos. Fonte: Agência Brasília

 

 

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close