Share

RONIERE LEÃO FREITAS DOS SANTOS

RoniereLeão_34anos_especial_4aNesta edição, falaremos de um jogador de 34 anos, uma pessoa especial e que leva alegria, carinho e afeição a todos da Escolinha de Futebol Massa Real, em Samambaia. O nome dele é Roniere Leão Freitas dos Santos, mas todos o chamam de Rony.

Se classificarmos os craques do futuro pela quantidade de estrelas – de 1 a 5 – Rony ganha todas e pode ser considerado um atleta do presente. Mais que isso, um ser humano mais que especial. O que o credencia para isso são a humildade, a inteligência, a assiduidade e a alegria.

Um dos técnicos e coordenador do projeto que o acompanha, Edjael Bezerra, o Jajá, conta que a felicidade do atacante toca todos a sua volta. “Não tem um dia sequer que ele esteja triste. Sem falar que tem um jeito tão especial de abraçar e não importa quem. Isso é bastante interessante de se falar. É possível perceber que há amor, é como se fosse uma criança”.

Roniere joga em todas as categorias. Tem suas dificuldades, sim, mas não desiste e está sempre buscando se superar. No grupo, é tratado sem discriminação, até quando apronta alguma, já sabe que será repreendido da mesma forma que os demais. “Já ocorreu umas três vezes de ele se irritar com algo e soltar um palavrão. Fixo o olhar e pergunto: ‘o que você falou aí?’. Ele, todo sem jeito, corre para abraçar-me, pede mil desculpas e logo, sem que ninguém mande, começa a correr em volta do campo para cumprir sua punição”, conta Jajá.

No grupo, todos gostam do atleta. E mesmo sendo especial, a galera não dá mole. Segundo Jajá, os meninos gostam de perturba-lo, por ele ser flamenguista “de sangue, coração e alma”. Na brincadeira, chamam-no de vascaíno. A resposta de Rony é rápida: “Sou homem, poxa!” O técnico lembra ainda que ele coloca as mãos para o alto e pede: “Ai, meu Jesus, manda esses garotos pararem de me chamar de vascaíno”.

Jajá também destaca que Rony fica feliz em jogar, assim como em colaborar com os coordenadores do projeto. “Ele nos ajuda a buscar colete e outros materiais, que ficam perto do campo. Isso também é prazeroso para ele”.

Roniere mora com a avó, América Gomes dos Santos, em Samambaia, que confirma a paixão do neto pelo futebol. “Ele estuda na escola especial, faz dança, mas é pelo futebol que tem paixão e também adora o Flamengo”.

O atleta é considerado um rapaz tranquilo e que gosta muito de passear. Segundo a avó, “ele adora uma rua e esse é o maior trabalho que dá. No mais, é carinhoso, faz questão de ajudar e é muito trabalhador. Uma pessoa muito querida”, comenta América.

Roniere, queremos parabeniza-lo pela pessoa que é e ficamos na torcida para que o futebol seja sempre sua válvula de escape. Que você encontre no esporte todos os motivos para sorrir e levar alegria aonde quer que vá!

 

Deixe um comentário