Share

Seleção masculina de Vôlei volta ao Grupo A da Liga Mundial

Bruninho vibra com ponto da seleção brasileira. Foto:www.cbv.com.br
Bruninho vibra com ponto da seleção brasileira. Foto:www.cbv.com.br

Antes do duelo contra a Bulgária pela Liga Mundial, o técnico Bernardinho previa que o Brasil encontraria uma muralha na manhã desta sexta-feira. Esqueceu de avisar aos búlgaros que o Brasil tinha um obstáculo ainda maior do seu lado. Leandro Vissotto foi um gigante no Ginásio Nilson Nelson. Maior bloqueador (cinco pontos), maior atacante (14) e maior pontuador (19), o oposto comandou a equipe na vitória por 3 sets a 1 (24/26, 25/17, 25/20 e 25/23), que levou o país de volta à liderança do Grupo A da competição.

Se Vissotto foi o destaque no conjunto da obra, Alan merece o prêmio de grande lance da partida. Com uma atuação irregular, o líbero fez jogada espetacular no último ponto da partida, chutando a placa de publicidade antes de recuperar bola praticamente perdida (veja no vídeo acima). Na sequência, o levantador búlgaro Bratoev errou o levantamento para dar a vitória ao Brasil.

As equipes voltam a se enfrentar neste sábado, outra vez às 10h no Ginásio Nilson Nelson. A TV Globo novamente transmite o duelo ao vivo, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real.

Além do retorno à liderança do Grupo A da Liga Mundial, a vitória também ajuda o Brasil a pagar algumas “dívidas”. Desde 2010 a seleção masculina não atuava em Brasília, mesmo ano do último confronto com a Bulgária, no que ficou conhecido como “jogo da vergonha” no Mundial da Itália, quando as duas equipes pouparam titulares.

Leandro Vissotto foi a grande muralha da vitória brasileira sobre a Bulgária (Foto: Jorge William / O Globo)

O jogo

 

O hino cantado à capela, no que já vem se tornando uma marca registrada da torcida brasileira, deu um gás inicial ao time. A seleção entrou em quadra vibrando muito, mas a empolgação logo deu lugar à preocupação. Errando muito, o Brasil teve que passar todo o primeiro set correndo atrás da Bulgária. Conseguiu algumas vezes, especialmente após as entradas de William e Wallace na reta final da parcial. Mas, no lance decisivo, Éder cometeu mais um erro pela equipe da casa, atacou na rede e deu a vitória para o time europeu por 26/24.

O Brasil voltou para o segundo set com mais atitude, em especial Leandro Vissotto. O oposto virou solução para o levantador Bruninho no ataque e dor de cabeça para os búlgaros nos bloqueios. Dominando a parcial, a seleção brasileira viu a pressão e os erros passarem para o outro lado e chegou a abrir oito pontos de distância (21/13) em ataque de Éder. Com tranquilidade, empatou o duelo fechando a parcial em 25/17, justamente em ataque de Vissotto.

Apagado até então, Lucão começou o terceiro set com tudo, com direito a uma bola salva com o pé no primeiro lance da parcial . Vissotto e Lucarelli seguiam sendo os principais nomes do Brasil, que também passou a contar com o saque de Éder como arma. O central fez três pontos no fundamento, com direito a dois aces seguidos para abrir 20/14. Novamente mostrando domínio, a equipe de Bernardinho virou a partida depois que Sokolov errou na tentativa de ataque: 25/20 e 2 sets a 1 para o time da casa.

Mostrando muita disposição e lutando por todas as bolas, o Brasil chegou a dar a impressão de que mais uma vez teria vida tranquila no quarto set quando Dante apareceu no ataque para abrir 14/9. A entrada de Milushev, no entanto, mexeu com a seleção. Os erros voltaram, em especial bobeiras na recepção, e a Bulgária equilibrou o duelo. Vissotto apareceu mais uma vez para deixar o Brasil a um ponto da vitória, e depois o líbero Alan se redimiu dos erros cometidos. Salvou uma bola impressionante, dando até um chute na placa de publicidade, e depois comemorou muito quando Bratoev invadiu por cima para dar vitória ao Brasil: 25/23 e festa verde-amarela em quadra. Fonte: globoesporte.globo.com

 

Deixe um comentário