Share

Taça das Favelas DF define equipes campeãs

A competição encerra seu calendário com Ceilândia Norte e Samambaia Sul em primeiros lugares

A quarta edição da Taça das Favelas DF definiu os times vencedores da competição, em 18/12, no Estádio Ciro Machado do Espírito Santo (Defelê), na Vila Planalto: na categoria feminina, o Ceilândia Norte bateu Samambaia Norte por 2 x 1. Já na masculina, o Samambaia Sul venceu o Samambaia Norte por 2 x 0.

A competição, que é realizada pela associação Cresce DF em parceria com a Cufa DF e tem fomento da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, teve a grande final masculina transmitida pela Globo Brasília. O acesso foi aberto ao público para conferir presencialmente os jogos no Defelê. Além disso, todos os resultados e números relativos à classificação podem ser encontrados no aplicativo Ifut que pode ser usado tanto pelo sistema Android como pelo Apple.

O presidente da Cufa DF, Bruno Kesseler, expressa sua alegria com o fechamento da competição: “foi maravilhoso, superamos as expectativas. O dia ajudou, não choveu, foi tudo perfeito. Conseguimos realizar um grande campeonato e chegamos à final com quatro times que mereceram muito. E agora vamos organizar a Taça do ano que vem. Tivemos a presença de várias autoridades torcendo e fazendo a diferença para o evento”.

Destaques da Final

Com uma partida praticamente dominada, durante os dois tempos, a equipe da Samambaia Sul terminou com um jogador a mais, depois de uma expulsão. Com um gol de pênalti de Lucas e outro de dentro da grande área de Reinold, os meninos sagraram-se campeões.

Entre as garotas, o Ceilândia Norte abriu o placar com um golaço de cobertura de Thaís, que contou como foi para ela: “ estou feliz demais e realizada. Foram muitos desafios, não temos patrocínio, não temos campo para treinar, pedimos apoio da administração, e não tivemos. Mas como temos muita força de vontade e união, chegamos à final e fomos campeãs, apesar de todas as dificuldades”. Natália ampliou o placar, depois de uma falha da goleira do Samambaia, que descontou de pênalti. A reação, entretanto, não foi suficiente para virar o jogo e as meninas ceilandenses venceram a competição.

De acordo com o aplicativo Ifut, o zagueiro Paulo, do Samambaia Sul, e o atacante Robson dos Santos, do São Sebastião, foram os destaques da rodada entre os jogadores do masculino. Pelo feminino, Alane Silva, atacante da Samambaia Norte e a atacante Haslane Santos, do São Sebastião, atraíram as atenções pelo futebol jogado nos últimos encontros.

O camisa 11 da equipe masculina vencedora, Lucas, que marcou pela equipe, depois de sofrer um pênalti, deu seu testemunho: “é uma felicidade enorme. Na temporada passada, bateu na trave, e ficamos com o vice-campeonato, mas agora pudemos conquistar esse campeonato. Treinamos muito para isso, todos os dias, de manhã e de tarde. O resultado está aí, estou muito feliz”.

Terceiros e quartos lugares

Também foram definidos os terceiros e quartos lugares do Taça das Favelas no campo do Sesi Taguatinga, em 19/12. Entre os meninos, o São Sebastião passou pela Estrutural por 4 x 1. As meninas tiveram Águas Lindas derrotando o Gama por 3 x 0.

Presenças ilustres

A competição foi abrilhantada por presenças especiais no fim de semana. O vice-governador, a secretaria de turismo e até um zagueiro pentacampeão da seleção brasileira de futebol contribuíram para a grandeza das partidas, que puderam ser vistas pelo público presencialmente.

O vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, explica sobre a importância da Taça das Favelas para a população: “esse projeto da Cufa é muito importante para a sociedade brasileira, porque resgata a cidadania dessas pessoas das comunidades e as insere em um futuro mercado de trabalho. O esporte afasta essas crianças dos riscos de más escolhas, além de oferecer educação. Então, trata-se de um projeto belíssimo, que tem de ser incentivado por todos os governos”.

A secretária de esporte, Giselle Ferreira, falou sobre sua experiência: “foi emocionante acompanhar o trabalho desenvolvido pela Taça das Favelas em prol dos jovens das comunidades carentes do DF. A competição reafirmou o quão transformador o esporte é na vida das pessoas. É muito bom poder contar com a CUFA como parceira para, além de realizar grandes eventos, também tornar sonhos em realidade”, destaca Giselle Ferreira”. 

A secretária de turismo, Vanessa Mendonça, compartilha sua perspectiva sobre o trabalho desenvolvido pela proposta: “a participação desses jovens na competição requer disciplina e comprometimento. A Cufa, com essa proposta, identifica jovens com essas características e oferece oportunidades para que mostrem seus talentos. Estamos falando de transformação de vidas, pelo esforço dos participantes e pela conexão com a entidade”.

O ex-zagueiro da seleção brasileira, Lúcio da Silva, também agraciou o evento com sua presença e comentou sobre a grande final: “foi um belo jogo, as duas equipes se dedicaram bastante. Sabemos que as duas têm jogadores que podem trilhar um caminho muito longo pelo futebol. Essa competição pode ser a mais importante da vida deles. O projeto oferece essa enorme oportunidade, então, a gente torce e deseja boa sorte para todos”. E para agrandar ainda mais a festa, a organização anunciou que, a partir desta edição, o zagueiro é, oficialmente, o embaixador da Taça das Favelas DF

Cultura e esporte

O dia não foi apenas de futebol. Para animar a torcida e oferecer entretenimento durante os intervalos, a organização do campeonato trouxe a banda Elas que Toquem. Composta apenas por mulheres, o grupo surgiu com objetivo de influenciar outras mulheres a conquistarem mais espaços, estimulando a busca por igualdade, com samba no pé.

O público também presenciou a apresentação da cia In The Hood, que  utiliza a dança e a música como ferramenta de transformação social, predominantemente pelo estilo e pela cultura do passinho. 

O DJ Kpa somou-se à programação artística, garantindo um set animado e repleto de funk, hip hop e eletrônica.