EsportesFutsalPrincipais

Tigres B e Villa Pelc triunfam na final do Futsal do ABC

Campeão inédito no torneio masculino e a primeira decisão feminina são destaques da 2ª edição do campeonato

Augusto Fernandes
Especial para o Viver Sports

A quadra poliesportiva do Jardim ABC, na Cidade Ocidental, recebeu as finais do 2º Campeonato de Futsal do ABC, no último domingo (8). Pelo lado feminino, Tigres B e River F.C disputaram o título, enquanto Villa Pelc e União F.C duelaram pela taça no torneio masculino. Um bom público compareceu para prestigiar as partidas, e os presentes no local foram recompensados com belas atuações dos finalistas: 21 gols, confrontos emocionantes do início ao fim e dois novos campeões.

Com apoio da Prefeitura da Cidade Ocidental e da Administração Regional do Jardim ABC, além de intensa colaboração dos idealizadores, em especial Cleberson Augusto, Givaldo Barbosa e Romeny, as finais do 2º Campeonato de Futsal do ABC foram um espetáculo, com direito a hino da Liga dos Campeões para entrada dos clubes, narrador para transmitir as partidas, premiações individuais e troféus para os campeões e vice-campeões.

A novidade na edição deste ano foi o torneio feminino. Na final, de um lado a artilheira da competição, Kaká, do River F.C. Do outro, a melhor goleira do campeonato, Joelma, do Tigres B. Apesar do esforço de Kaká, que anotou 3 gols na decisão, o título ficou para Joelma e companhia. Em uma partida com duas viradas no primeiro tempo, o Tigres B levantou a taça após vencer pelo placar de 6 a 4.

Na decisão masculina, o enredo foi parecido. O artilheiro do campeonato e o melhor goleiro do torneio também se destacaram, mas ambos defendiam a mesma camisa. Com Boby inspirado e Cláudio fechando o gol, a Villa Pelc derrubou os campeões do ano passado, e chegaram ao título depois de aplicarem 7 a 4 no União F.C.

Tigres B 6×4 River F.C

A final entre as mulheres começou a todo o vapor. Logo no primeiro ataque, a equipe do Tigres chegou ao gol com Glau, após bela troca de passes. Na sequência, o clube voltou a ameaçar duas vezes, mas a goleira Cris impediu que a vantagem fosse aumentada.

A arqueira do River foi importante não apenas na defesa, e teve participação direta nos dois primeiros gols do clube. Em lances parecidos, Cris cobrou tiro de meta em direção à área adversária, e Kaká apareceu para desviar a bola para as redes, virando o placar da partida.

Contudo, não demorou para que as meninas do Tigres voltassem à liderança. Primeiro, com outra boa jogada coletiva, a bola ficou com Cris, que venceu a xará adversária, e deixou a partida empatada. Depois, em um lance polêmico, o Tigres chegou ao terceiro gol. No lance, Paula finalizou para a defesa da goleira Cris, e a bola passou por cima da tabela de basquete. A arbitragem nada marcou, e Izabela empurrou a bola para o fundo do gol. Após isso, a partida ficou paralisada por alguns minutos devido a protestos das jogadoras do River.

Na etapa final, as equipes continuaram com o mesmo ímpeto, e dois gols foram marcados logo nos primeiros minutos. Angélica retomou as esperanças para o River ao empatar a partida, aproveitando jogada ensaiada após um lateral. Porém, logo na saída de bola, Izabela recuperou a vantagem para o Tigres.

Mesmo com 4 a 3 no placar, o Tigres continuou atacando, e não demorou para aumentar a diferença, com Diana. Enquanto isso, o River pressionava, mas encontrou um paredão do outro lado: Joelma. Em três oportunidades, a goleira do Tigres foi decisiva para impedir que o adversário marcasse outro gol. De qualquer forma, Kaká conseguiu furar o bloqueio da arqueira, e chegou ao seu terceiro gol na final, o 13º no campeonato.

Pouco antes do fim, Bêlo fez mais um para o Tigres, dando números finais à partida.

Villa Pelc 7×4 União F.C

A finalíssima entre os homens foi tão intensa quanto a decisão feminina, e seis gols foram marcados apenas na etapa inicial. O primeiro deles sai dos pés de Boby. O pivô da Villa Pelc avançou pelo lado esquerdo da quadra e, mesmo sem ângulo, colocou a bola entre as pernas do goleiro Leu.

Pelo lado do União, Vinícius era quem mais ameaçava a meta do goleiro Cláudio. E foi ele o responsável por virar a partida para o então campeão do torneio. Primeiro, o camisa 10 saiu da marcação de dois adversários, e chutou forte para empatar o jogo. Minutos depois, ele aproveitou rebote da zaga, e soltou outra bomba, que ainda tocou no travessão antes de ir para as redes.

Os gols não abalaram a Villa Pelc, que continuou atacando. O gol de empate saiu após boa jogada de Boby. De costas para a marcação, ele protegeu a bola e rolou para Rafinha, que não deu chances para o goleiro adversário. No lance seguinte, porém, o União retomou a vantagem: Vinícius cobrou escanteio, e Gabriel apareceu livre para fazer o gol.

A poucos minutos do intervalo, a Villa Pelc deu ainda mais ânimo à partida. Emerson puxou o contra-ataque, e tocou de calcanhar para Rafinha. O camisa 22 deixou um adversário no chão, e finalizou forte para fazer o segundo dele no jogo.

No segundo tempo, Boby tratou de resolver a partida para a Villa Pelc, participando de todos os gols marcados pela equipe. Artilheiro da competição, ele voltou a mostrar seu lado garçom, e achou Cezinha livre, que recolocou a Villa na frente. Na sequência, o pivô marcou mais um, deixando a Villa em ótima situação na partida.

A nota negativa da decisão ficou por conta de uma briga generalizada a 10 minutos do fim do jogo. Na confusão, Bismark foi expulso pelo lado do União, e Fred, Cezinha e Felipe receberam cartão vermelho pela Villa Pelc. Após o ocorrido, o União voltou a encostar no placar, novamente com Vinícius.

A reação, entretanto, parou por aí. Boby continuou iluminado, e sacramentou o título da Villa Pelc marcando mais dois gols, chegando à marca de 18 no campeonato.

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close