2013Editorial

Um 2014 repleto de amor, esperança e trabalho

katia-editorial2
Kátia Sleide, Editora

A maioria de nós trata o ano que está acabando com um certo desprezo. Claro que não há como se apegar, pois lidamos com o fator tempo e esse danadinho é implacável. Não se recupera, não volta e não para. Nesse caso, é melhor olhar para frente. O novo nos dá a chance de repensar, planejar, sonhar e, quem sabe, realizar.

Tenho sempre a sensação de que a cada ano conquistamos mais, melhoramos um pouquinho em relação ao que passou. Não que estejamos livres dos altos e baixos. Às vezes, são tantos baixos, que a sensação é de peso e estagnação. Mesmo assim, é preciso colocar na balança o que foi planejado e o que foi realizado. Quando fazemos isso, geralmente, é possível ver que o ano foi melhor do que o anterior.

Este ano de 2013 está no fim e afirmo, categoricamente, que não foi nada fácil. Tive de vencer muitos desafios, enfrentar algumas decepções e ainda esquentar a cabeça com questões bem preocupantes. Mas também foi um período de crescimento, pessoal e profissional, em que encontrei e reencontrei pessoas maravilhosas, tanto no seio familiar quanto em outros núcleos. E neste exato momento, concluo que 2013 valeu muito a pena. Valeu por tudo.

Pode não ter sido como planejei, mas até nisso acredito que teve o dedo de Deus. Se houve ocasiões em que as lágrimas insistiram em cair, houve muitas outras que o sorriso foi mais evidente, bem mais constante.

Acredito que a vida é feita de altos e baixos, assim como creio que devemos viver cada fase dando o melhor de si. Se estou certa, sinceramente, não sei, mas a sensação de que foi feito o que estava ao meu alcance me dá forças para continuar sonhando, sorrindo e amando a vida.

E nesse lema de amar a vida e buscar, incessantemente, o caminho das conquistas, a reflexão sobre tudo cabe a qualquer um. Se houve erros, para que eles sejam corrigidos, é preciso que sejam reconhecidos. Se algo externo atrapalhou seu planejamento, com certeza, há uma razão plausível para isso. Se houve mais motivos para chorar do que para sorrir, significa que não estamos vendo a vida como ela deve ser vista, com gratidão e paciência.

Portanto, amigos, desejo que ao fim de 2013, possamos fazer um balanço e tirarmos dessa operação um saldo bem positivo. Não apenas de cifras, mas principalmente de amor, de esperança, de trabalho, de amizades e de aprendizado.

Que venha 2014 e cheio de situações positivas para todos nós! Feliz ano novo, meus amigos!

Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close