Share

Uma bela história de vitórias e muita fé

Victoria Araújo, 17 anos, moradora de Ceilândia, é um dos destaques femininos no Jiu-Jitsu do DF
Victoria Araújo, 17 anos, moradora de Ceilândia, é um dos destaques femininos no Jiu-Jitsu do DF

Victória Araújo Tomé, 17 anos, vem se destacando pelas inúmeras conquistas no Jiu-jítsu. A atleta começou a lutar aos seis anos e são exatos 11 dedicados ao esporte. Com muito carisma e elegância, Victória supera os desafios com muita fé e entusiasmo.

Victória Tomé chegou ao jiu-jítsu por intermédio de sua mãe e não demorou muito para se envolver com o esporte. “Minha mãe sempre teve amizade com meu professor (Cláudio Careca) e ele incentivou bastante para que eu começasse a treinar. Logo no primeiro treino, apaixonei-me pelo esporte”, ressalta a lutadora.

A atleta treinou dos seis aos 11 anos, quando começou a competir. Com muitos títulos regionais e estaduais, hoje é campeã nacional e internacional.

Ela possui títulos importantes. É bicampeã mundial, bicampeã brasileira, bicampeã pan-americana e campeã internacional Rio Open. “Este ano, lutei o Mundial e o Brasileiro defendendo meu título de campeã e acabei conquistando de novo a medalha. Prometo continuar focada, para repetir esses feitos no futuro”.

Manter-se no lugar mais alto do pódio é um dos maiores desafios da atleta. “Meu maior desafio é o de vencer eu mesma, nos treinos, na correria do dia-a-dia, com toda dificuldade que é ser uma atleta”, ressalta a atleta.

Inquieta, ela sabe que ainda tem muita coisa pela frente. “Meu maior sonho é chegar à faixa preta, no topo das competições, continuar lutando por muitos anos, sonho também em montar a minha academia com o meu projeto social: ”Deus é Fiel, tudo vai dar certo'”, revela Victória.

Além da atividade física e das conquistas, Victória vê o esporte como outros olhos. “Com certeza o esporte fez e faz a diferença na minha vida. Ganhei um estilo de vida bem diferente, eu represento bastante Jesus nas minhas lutas, acredito que as minhas vitórias vem do Senhor. O Jiu-jítsu mudou a minha vida”, explica a lutadora.

 

Família

Victória vê em sua mãe a maior incentivadora para chegar a ser uma atleta de grande potencial. “Minha mãe foi a peça fundamental para que eu começasse a treinar e minha família torce bastante para que tudo dê certo”.

Além de lutar e representar a Academia CEI Jiu-jítsu, Victória Tomé, é professora na Academia Leão de Judá, onde participa de um projeto social e ensina os passos de uma campeã a crianças e adolescentes carentes de Ceilândia.

Para que seus sonhos sejam realizados, a atleta espera contar com a ajuda de empresários ou pessoas que queiram contribuir com os projetos. E também aproveita para agradecer seus apoiadores. “Agradeço o senhor Miro e o Zildo, da Via Leste, que sempre estão me apoiando, assim como o Francisco, da ‘Saborear, Point do Pastel”.

Deixe um comentário