BrasíliaEsportesFutebolPrincipais

Vereador de Águas Lindas-GO é acusado de agressão a jornalista esportivo

Vanderlei Blá teria partido pra cima de Matusalém Souza, domingo (9), antes de uma partida do campeonato amador da cidade

Kátia Sleide
Jornalista

A equipe da rádio Esportes Brasília viveu momentos de tensão na manhã de domingo (9). Segundo relatam os profissionais, no momento em que se preparavam para mais uma cobertura esportiva – de uma partida válida pelo Campeonato Municipal –, o vereador Vanderlei Blá teria invadido a parte superior do trio elétrico e agredido, verbalmente e fisicamente, o narrador Matusalém Souza. Além disso, o mesmo tentou golpear o profissional com uma cadeira, mas foi contido por algumas pessoas.

Conforme contam os profissionais da rádio Esportes Brasília, o que seria mais uma manhã de trabalho dedicado ao esporte, não passou de um grande constrangimento e humilhação para os jornalistas. De acordo com relatos do narrador esportivo Matusalém Souza, antes mesmo de terminarem de preparar o som para começar a transmissão da partida de futebol, o vereador teria subido no trio e proferido xingamentos direcionados a ele. “Transtornado, o mesmo já chegou com xingamentos e, em seguida, desferiu-me um tapa no rosto, o que me arrancou os óculos. Não contente, o vereador tentou golpear-me com uma cadeira, mas foi impedido por algumas pessoas”, relata Matusalém.

Após o ocorrido, ainda segundo relatos do narrador esportivo, o vereador Vanderlei Blá deixou o local. Em seguida, Matusalém, em companhia do estudante de jornalismo Philipe Moreira, dirigiu-se ao Centro Integrado de Operações de Segurança de Águas Lindas (Ciops) para registrar um boletim de ocorrência.

Philipe Moreira relembra a cena e está impressionado com tamanha violência. “Quando o vereador desceu do carro, foi cumprimentado por pessoas que estavam próximas, mas ele não respondeu a ninguém. Subiu a escada do carro de som e foi xingando o Matusalém. ‘Você é um moleque. Você tem de me respeitar’, gritou o vereador. E pediu para tirar o carro de som: ‘Não quero esse trio aqui’. Logo na sequência, ele já desferiu um murro e foi contido por três pessoas que estavam em cima do trio com a gente. O murro não pegou de cheio e, com a contenção, finalizou como tapa, mas foi o suficiente para jogar os óculos do Matusalém longe”, conta Philipe Moreira.

Segundo o estudante de jornalismo, as cenas de violência foram mais além. “Mesmo sendo contido, ele ainda tentou arremessar uma cadeira de ferro no Matusalém. Só não conseguiu porque o seguraram”.

Os outros membros da equipe, José Boiadeiro da Silva, mais conhecido por Jotta Silva,  e o motorista do carro de som, que não quer ser identificado,  permaneceram no trio. Segundo eles, as intimidações e agressões não pararam por aí. Um Fiat Pálio parou próximo ao carro de som, de onde desceram cinco homens, que também agrediram a dupla e forçou a saída dos mesmos do local.

“Estávamos terminando de montar o equipamento, quando Vanderlei Blá chegou, em um veículo, e foi direto ao Matusalém falando pra ele o respeitar. ‘Você fica falando de mim…. você me respeita….’ O Matusalém apenas perguntou: ‘o que eu falei de você?’”, conta Jotta Silva.

Segundo o repórter de campo, na sequência, “ele deu um tapa no Matusalém, que o óculos dele caiu. O vereador foi contido e, na saída do trio, Vanderlei pegou uma cadeira e fez menção de arremessar no Matusalém, mas foi mais uma vez impedido”, relata Jotta Silva.

O profissional conta que ele e o motorista ficaram desmontando o equipamento, porque não havia mais clima, porém outras cenas de violência e intimidação ocorreram. “Estávamos arrumando as coisas, quando chegaram cinco homens em um Fiat Pálio azul e perguntaram quem mandou colocar o trio? O motorista do trio tentou argumentar que já estávamos indo embora, contudo foi agredido com chutes por alguns desses homens. Eu também afirmei que íamos embora, mas eles vieram pra cima de mim e me deram vários chutes. Havia também alguns garotos que sempre acompanham nossa transmissão e pediram para eles não fazerem aquilo e acabaram levando alguns safanões”.

Ainda de acordo com Jotta Silva, “os homens fizeram menção de estarem armados”. A dupla também foi para a Ciops para registrar boletim de ocorrência, porém, como não podiam provar que se tratava de agressões a mando do vereador Vanderlei Blá, fizeram o BO em separado.

Revolta

Para Matusalém Souza, essa é uma situação lamentável. “Com mais de 15 anos de profissão, nunca tinha passado por isso. Já narrei  clássicos como Vasco x Flamengo, Brasiliense x Gama. Já fizemos jogos pelo Brasil  afora e nossa equipe sempre foi bem recebida”, conta o narrador.

“Em Aguas Lindas, o futebol amador tem um dono e esse dono não aceita a imprensa fazer seu papel. Espero que o prefeito Hildo do Candango e outras autoridades tomem as providências necessárias”, completa.

A equipe estava no local a convite do secretário de Esportes da cidade, Hamilton Tatu. O mesmo foi procurado pela reportagem para falar sobre o ocorrido, mas não retornou as ligações.

O Campeonato Amador de Águas Lindas é patrocinado pela Prefeitura da cidade.

Defesa

O vereador Vanderlei Blá, por meio de sua assessoria, informou que não iria falar com nenhum jornal e que sua defesa já havia sido feita por meio de nota divulgada em seu perfil no Facebook. A equipe do jornal Viver Sports respeita o direito do mesmo de não se manifestar e divulga a nota na íntegra, como segue abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

“Venho, por intermédio desta NOTA, manifestar publicamente a minha mais repelente repulsa concernente às acusações a mim imputadas pelo senhor Matusalém Souza, acerca dos fatos ocorridos no último domingo, no campo Guaíra.

Cumpre-me esclarecer que algumas versões já exploradas de forma inoportuna nas redes sociais e noutros canais midiáticos conduzem a opinião pública para um entendimento que não corresponde à verdade sobre os fatos e seus envolvidos.

Falta com a verdade o senhor Matusalém Souza ao afirmar e propagar de forma irresponsável e leviana que este vereador o agrediu fisicamente durante partida de futebol realizada no campo Guaíra, na manhã do último domingo. Também não é verdade que eu o expulsei, juntamente com sua equipe de rádio, da área que circunda o campo de jogo, impedindo-os de realizar a transmissão da partida.

O que de fato aconteceu foi o seguinte: a exemplo do que acontece há três anos, o nosso trio elétrico estava posicionado para a transmissão da partida em som ambiente para o público presente. Mesmo sabendo que a partida seria transmitida pela equipe da Liga, outro caminhão de som foi posicionado para fazer o mesmo tipo de transmissão, o que certamente acabaria atrapalhando o nosso trabalho. Não satisfeito em prejudicar a nossa transmissão, o senhor Matusalém Souza passou a proferir, em alto e bom som, palavras ofensivas contra a minha pessoa. Aquelas agressões verbais levaram-me a tirar satisfação com o referido locutor. O episódio acabou se transformando em um tumultuoso bate-boca, mas não houve agressão física da minha parte como ele quer propagar.

Convém esclarecer que o referido locutor não estava ali como profissional de imprensa, ainda que ele tenha alegado que sim. Até porque as atitudes praticadas por ele contrastam com a conduta ética de um profissional de imprensa. Ademais, a imprensa é sempre bem-vinda, pois sabemos que ela tem importante papel na valorização e difusão do esporte amador de nossa cidade. Ficou claro para todos os presentes que o compromisso do senhor Matusalém naquele evento era única e exclusivamente por motivações políticas. Tanto é verdade que ele encontrou em mim o norte ideal para direcionar palavras ofensivas e igualmente caluniosas.

Com isso, espero que os fatos tenham sido devidamente esclarecidos. Permaneço lutando, ao lado do povo de Águas Lindas, para contribuir com o esporte amador de nossa cidade.

Sempre à disposição,

Vereador Vanderlei Blá.”

Nossa opinião

Esporte não combina com violência

Kátia Sleide (*)

Águas Lindas-GO é uma cidade nova e, assim como tantas outras do Brasil, tem seus problemas. Há poucos dias, a região também passou por eleições municipais e o clima ainda está acirrado por conta do último pleito. É comum que a animosidade permaneça ainda por alguns meses e que deixe os ânimos exaltados. Não é desejável, porém é natural, afinal, o povo quer fazer a escolha certa.

Durante a apuração desta matéria, conversei com algumas pessoas de Águas Lindas que preferiram emitir suas opiniões reservadamente, sem se expor. Elas acreditam que a justificativa para o ocorrido tenha sido essa disputa política deste último pleito. De um lado, “uma pessoa que lutou pelo esporte da cidade e que muito tem contribuído para a comunidade”. De outro, “um secretário de Esportes que nem da cidade é e quem tem tentado a todo custo invadir o espaço de quem realmente fez e faz”.

Outro reforçou que “o vereador tinha de tirar os caras no tapa mesmo, porque eles iriam fazer propaganda para o secretário e falaria mal dele”. (Observem o tempo do verbo: iriam). Ou seja, uma confusão foi armada para evitar algo que alguém achou que “iria” acontecer, mas que não aconteceu.

Entendemos perfeitamente a preocupação e a disputa política, mas pessoas que sabem da importância do esporte para qualquer comunidade, principalmente para as regiões mais carentes, não podem justificar qualquer ato de violência por conta de algo que “poderia acontecer”.

Também há dois pontos que acho interessante falar, até para esclarecimento do vereador e da população:

  • Em sua nota, o vereador diz que havia um trio elétrico que faria a transmissão do jogo pela liga e que outro caminhão acabaria atrapalhando;
  • Afirmar que o locutor esportivo Matusalém Souza não estava ali como profissional da imprensa… e que ficou claro para todos os presentes que o compromisso dele naquele evento era única e exclusivamente por motivações políticas…

Quanto ao primeiro, não vejo motivo algum para não ter outros carros de som. Estou acostumada a fazer coberturas esportivas em várias cidades do DF e os profissionais fazem o seu trabalho, cada um na sua. A exemplo disso, cito Planaltina. Às vezes, tem dois ou três carros de som e os profissionais se interagem. Sem contar que em área pública, todos os cidadãos (de Águas Lindas ou não) têm os mesmos direitos.

Em relação ao segundo tópico, a equipe estava uniformizada e esses mesmos profissionais fazem narrações em vários pontos do DF. Eles são profissionais e, se foram contratados para isso, fariam o seu ofício. Por mais que incomode A ou B, eles estavam a serviço. Não se pode fechar os olhos para isso.

Minha intenção aqui não é julgar o vereador Vanderlei Blá, até mesmo porque sou da imprensa e não da Justiça, mas enquanto jornalista, fiz minha matéria, apurada acima e aqui, tenho o direito de emitir minha opinião sobre o ocorrido.

Faço cobertura esportiva em várias regiões do Distrito Federal e Entorno, assim como já fiz em Águas Lindas. Fui muito bem recebida pela população, a cidade e seu povo são acolhedores.

O esporte, principalmente o futebol amador, é uma das ferramentas que as lideranças, a comunidade esportiva, atletas e todos os envolvidos nas competições utilizam para levar promover a integração, o resgate social, a saúde e o entretenimento. O esporte não combina com violência e muito menos com disputas políticas.

As diferenças devem ser deixadas de lado e é preciso haver o respeito mútuo. Não conheço o vereador Vanderlei Blá, mas visitando sua página no Facebook pude perceber que ele é, sim, uma liderança respeitada, principalmente pela comunidade esportiva.

Conheço o narrador esportivo Matusalém Souza e toda a equipe da rádio Esportes Brasília. São profissionais que amam o esporte e que não medem esforços para fazer o melhor em se tratando de jornalismo esportivo.

Percebo que estamos falando de pessoas que, neste momento, podem até pensar diferente, têm suas convicções políticas distintas, mas que amam o esporte e estão a serviço dessa grande e potente ferramenta social em prol das comunidades.

De um lado há uma equipe de profissionais que acusa um vereador de violência física e psicológica. De outro, há um político que se defendeu em redes sociais contando outra versão dos fatos. Não podemos aceitar qualquer ato de violência, seja com quem for e partindo de qualquer cidadão.

Contudo, podemos sugerir que o assunto em questão, tão doído e que mancha a imagem de uma cidade, possa, inicialmente, ser resolvido com diálogo, pedido de desculpas e uma boa e importante resenha. Mas, se não for possível, fica a torcida para que a Justiça esclareça o ocorrido e que dê a devida punição a quem mereça.

(*) Editora do Jornal Viver Sports (impresso e site)
Editora executiva do jornal Brasília Agora
Professora universitária da Faculdade Anhanguera de Brasília

Vanderlei Blá (E) afirma que houve apenas bate-boca, mas Matusalém Souza afirma que houve agressão física// Fotos: Reprodução
Vanderlei Blá (E) afirma que houve apenas bate-boca, mas Matusalém Souza afirma que houve agressão física// Fotos: Reprodução
Tags
Mostrar Mais

Viver Sports

A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

Artigos relacionados

Close