Share

Vem aí a 9ª edição das Olimpíadas da Ceilândia

Fonte: Secretaria de Esporte e Lazer do DF

Você conhece o maior evento esportivo comunitário da Ceilândia?  As Olimpíadas de Ceilândia estão chegando à 9ª edição onde equipes e atletas vão competir por medalhas, troféus e uma excelente oportunidade para projetarem seus nomes regionalmente. O evento, que acontecerá entre os meses de fevereiro e março de 2021, estimula a prática esportiva, promove a inclusão social e celebra o aniversário da região administrativa.


A competição contabiliza mais de 5.200 mil participantes, que se enfrentarão em 23 modalidades. São elas karate, jiu-jítsu, dama, xadrez, judô, futevôlei, futsal, natação, atletismo, futebol, queimada, handebol, voleibol, skate, dominó, ginástica rítmica, tênis de mesa e basquete. Para pessoas com deficiência são quatro opções: basquete em cadeira de rodas, natação, goalball, bocha e atletismo. De acordo com o regulamento, as federações de cada modalidade indicam os nomes dos competidores que representarão um setor de Ceilândia.

Os Centros Olímpicos e Paralímpicos do Parque da Vaquejada e do Setor O recebem as competições de atletismo, basquete, bocha e natação. As demais modalidades estão espalhadas em outros locais esportivos, como SESC Ceilândia, Escola Parque, Instituto Federal Brasileiro e campo de areia da Praça dos Eucaliptos.

Responsável pela elaboração do evento, o presidente do Instituto Mover da Vida – I.M.V, Moacir Pinto, destaca que o evento visa movimentar toda cadeia esportiva da cidade. “Ceilândia, a maior cidade e a mais populosa do Distrito Federal, tem na prática do esporte a sua maior opção de lazer e entretenimento. Dessa forma as Olimpíadas ajudam na formação humana, educação, qualidade de vida e a socialização do indivíduo”, afirmou.

A realização do evento conta com parceria da Secretaria de Esporte e Lazer, por meio de termo de fomento no valor de R$ 513.424,91 (quinhentos e treze mil, quatrocentos e vinte e quatro reais e noventa e um centavos) e será utilizado para apoiar a estrutura do evento como locação de palco e banheiros, equipe de arbitragem e coordenação e organização, premiação como medalhas e troféus, material esportivo como redes, bolas, camisetas, serviços de staff e brigadistas, sonorização e itens relativos aos protocolos de segurança contra o Covid-19, como álcool em gel, termômetros e totem dispensador de álcool em gel.

Para a secretária interina de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira, além de proporcionar a inclusão social, o evento dissemina as práticas desportivas nas suas mais diversas manifestações. “Com atividades voltadas ao esporte e cidadania, a Olimpíada democratiza o esporte, valoriza e fortalece a cultura local na apropriação do direito ao lazer e ao esporte recreativo.”, destacou.