Força de vontade e foco

0
13
Os pais, Lindalva e Baiano, são os maiores apiadores do atleta
Os pais, Lindalva e Baiano, são os maiores apiadores do atleta
Atleta de Samambaia, Wemerson Moraes busca o sucesso no União Suzano-SP

As histórias de craques do Distrito Federal que saem daqui em busca de um lugar na elite do futebol profissional se repetem. Essa não é uma batalha fácil, mas eles procuram manter o foco. Entre esses atletas está Wemerson Moraes, 16 anos. Ele saiu de Samambaia e já passou por várias equipes pelo Brasil. Atualmente, integra o elenco do Esporte Clube União Suzano (Ecus), em São Paulo.

No último ano, teve passagens no CT Brasil, em São Paulo; no 10 de Novembro, em Recife; e no Paraná. Em janeiro deste ano, foi para o Suzano, onde está atualmente tentando um lugar ao sol.

O atleta atua na lateral-direita e já mostrou suas habilidades no Campeonato Paulista, categoria Sub-17, em junho. O time não foi muito adiante, mas há a expectativa para outras competições importantes que serão realizadas neste semestre. “A experiência está sendo muito boa. Disputar o Paulista foi excelente. Agora, estamos nos preparando para o campeonato da Associação Paulista, Copa Bandeirantes e a Nacional de Empresários, com uma possível ida a Dubai”, conta Wemerson.

O atleta sabe que o caminho é longo, mas também tem noção exata de que depende mais dele mesmo. “Agora está encaminhando para melhorar ainda mais. Tudo depende de mim”. Segundo ele, o que mais incomoda é a saudade. “Ficar longe dos amigos e de casa não é fácil, mas o que mais sinto falta é do meu pai e minha mãe”, diz.

Com o apoio incondicional dos pais

O pai, Anatalino Pereira Braga, mais conhecido por Baiano, 60 anos, ajuda bastante o filho a alcançar seu objetivo. “Sei que é difícil e não é só para ele. A gente tem muita preocupação, principalmente com os estudos. Sou o maior incentivador dele no futebol”, afirma Baiano.

Baiano sonha ver Wemerson realizar seus objetivos. “Quero que quando ele for jogar em um time de expressão no futebol, que olhe pra mim e veja que fiz algo por ele”.

Se o apoio do pai é incondicional, da mãe, Maria Lindalva Moraes, não é diferente, embora fale menos no assunto que Baiano. “A gente se preocupa muito. Wemerson é filho único e procuramos falar com ele todos os dias. A saudade é demais, mesmo assim, dou muita força”, comenta Lindalva.

 

Confiança

Wemerson está sob os cuidados de Dinho Dias, atualmente, responsável pelas categorias de base do Suzano. Para o técnico, o atleta tem futuro e o que puder fazer para ajuda-lo a conquistar o objetivo, não medirá forças. “Para ele chegar ao profissional, depende apenas dele. Sempre darei oportunidade, mas ele é quem tem de se esforçar”, acredita Dinho.

O lateral-direita tem mostrado força de vontade. Dinho Dias conta que quando Wemerson chegou ao Suzano, estava abaixo do esperado, contudo, o garoto se aperfeiçoou e melhorou bastante.

E não são apenas os detalhes técnicos e físicos que os meninos encontram no clube. Lá, os profissionais trabalham muito a questão psicológica. “Estamos sempre em cima deles, até mesmo com amizades. Procuramos mostrar que tem certas amizades que devem ficar no passado. Eles precisam estar focados lá na frente”, comenta o técnico.

Além disso, Dinho afirma que o trabalho feito com as categorias de base visa também prepara-los para lidar com várias situações, inclusive com a imprensa. “É preciso saber se portar em uma entrevista. Não queremos pessoas que não tenham formação”.

Ao que tudo parece, Wemerson Moraes está em boas mãos. Fica a torcida para que seu nome seja apenas mais um a brilhar no futebol profissional mundo a fora.

[nggallery id=57]

 

Artigo anteriorEsporte em discussão
Próximo artigoSolidariedade em alta
Viver Sports
A voz do esporte amador no DF e Entorno, chega a versão 2.0 de seu novo Site

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui